Pular para o conteúdo principal

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - ANDDRE MAFRA

    

Por: André Montandon

Apresentando uma estética que une reflexões pessoais com loops de voz, violão, guitarra, batidas eletrônicas e efeitos, Anddre Mafra transita entre o indie-folk e o experimental de forma intimista em seu formato solo de "one man band".

Trazendo à tona suas vivências e consequências existenciais, o músico, cantor e compositor cria uma atmosfera particular: a imersão em uma sensibilidade latente. 

Em 2019 lançou o pri­meiro trabalho autoral, o EP ‘’Vou Dizer Que Sou Fe­liz (VDSF)’’, produzido por Marcos Paulo Guimarães.

Em agosto deste ano, apresentou o EP “Octopios”. Primeiro em que além das melodias e letras, todo processo de produção foi realizado pelo própria artista. O trabalho conta com a distribuição da Tratore e está disponível nas principais plataformas digitais.

Conferir a seguir, a nossa entrevista com esse grande artista:

- Como foi o processo de produção e escolha do nome do novo EP?

Anddre Mafra - O EP inteiro foi gravado e produzido por mim durante esse periodo de quarentena em minha casa, após minha mudança para Uberaba. Acaba que foi um projeto em que meu foco me auxiliou emocionalmente durante esse tempo. E ''octopios'' é uma brincadeira com o fato de poder/tentar realizar todo o processo sozinho, por isso o 'polvo'/'octopos', como representação de múltiplas funções e a soma com a palavra 'opio' com o sentido de 'relaxamento' e 'tranquilização' perante a tudo que estamos vivendo.

- O isolamento/distanciamento social que está ocorrendo devido a pandemia da Covid-19, influenciou para que você realizasse todo o processo de produção do Octopios ou isso já estava no "script"?

Anddre Mafra - A ideia da realização de todo processo por mim já estava nos meus planos, de uma forma ou outra, pela configuração independente do meu trabalho. Mas devido ao isolamento esse processo acaba que se reafirmou mais ainda pelas limitações impostas. 

As artes elaboradas para o EP foram criadas pelo designer Caique Ferreira

- Qual a sua percepção sobre o processo criativo do seu trabalho atual e do EP de estreia ‘’Vou Dizer Que Sou Feliz"?

Anddre Mafra - Acredito que tenho passado por um processo de educação. Uma coisa que é 'certa' é que este ultimo lançamento esta longe de estar 'perfeito' tecnicamente na minha opinião, pois esse não era o intuito, principalmente por se tratar do 1º trabalho que gravo e produzo por conta e em casa. Mas vejo ele alinhado com meu processo educativo como produtor e parte de uma linha cronológica de evolução entre outros lançamentos que tenho em mente. Vejo ele muito alinhado com o "Vou dizer que sou feliz (VDSF)" em alguns pontos como temáticas e formas de composição, porém com alguns elementos que pretendo incorporar nas minhas próximas fases. Posso até dizer que os dois, juntos, se alinham em começo e fim de uma trajetória pra mim....

- Como está a interação do público com este novo trabalho?

Anddre Mafra - A interação está bem legal, mesmo no primeiro mês de lançamento já consegui que o trabalho fosse visualizado por bastante gente. É claro que nada se compara a uma situação normal aonde posso apresenta-lo ao vivo e tenho maior capacidade de alcance, todo o cenário artístico e musical atual do pais sofre com isso no momento infelizmente. Por isso, eu também já tentei trabalhar com uma expectativa diferente do que se era 'comum'.

- Vai rolar um show ou live de apresentação do Octopios?

Anddre Mafra - Com certeza! Estou trabalhando agora na produção de uma transmissão ao vivo de apresentação deste trabalho, que será transmitida até o final de outubro. Estou realizando as gravações e edições agora e o quanto antes pretendo começar sua divulgação nas minhas redes sociais. 

- Você é de Ribeirão Preto (SP), mas atualmente mora aqui em Uberaba. Fale um pouco sobre sua vivência na terra do zebu?

Anddre Mafra - Então, na verdade em 2018, em uma das minhas primeiras vindas pra ca, participei de um palco aberto que teve no Espaço Laboratório 96... aonde conheci o Marcos Paulo Guimarães, quem produziu meu 1º EP que foi lançado em 2019. A partir de então começamos a conversar mais e trabalhei como iluminador para sua banda com a Bruna Buzollo e o Tarcicio Oliveira; a Azul Flamingo. E, por fim, no inicio de 2020 vim para Uberaba trabalhar como staff no Laboratório 96, que me deram uma oportunidade, mais uma vez, em uma fase tão importante da minha vida. Infelizmente devido a pandemia e a quarentena não pude aproveitar tanto da cidade quanto desejo ainda, pois passei a ficar em casa. Mas mantenho a esperança de que tudo passe e possamos voltar a pensar nos mesmos planos e cenarios de antes.

- Manda um recado pra galera que segue o nosso blog e que é fã do seu trabalho.

Anddre Mafra - Fico muito feliz que estejam acompanhando o meu trabalho e gostando, isso é essencial pro meu trabalho e de todos os artistas, principalmente no momento que estamos agora. Muito obrigado, de coração, por isso, por esse reconhecimento. Espero que todos estejam e continuem bem e se cuidando... e claro, próximos lançamentos estão por vir. 

Curtiu esse entrevista?

Quer saber mais sobre o artista?

Acesse:

https://www.facebook.com/anddremaframusic/

https://www.instagram.com/anddre.mafra/

https://www.youtube.com/c/anddremafra/

https://open.spotify.com/anddremafra

https://www.deezer.com/br/anddremafra

https://anddremafra.bandcamp.com/

Comentários

  1. Oi boa noite. Tudo bem? Sou brasileiro e carioca do Rio de Janeiro. Quero apresentar o meu Blogger de cultura, viagens e turismo. Gostaria de lhe convidar a seguir o meu Blogger.
    Sou o seguidor número 24.

    https://viagenspelobrasilerio.blogspot.com/2020/11/inhotim-brumadinho-mg.html?m=0

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - MENINO MESTIÇO

Por: André Montandon e Verônica Furtado Natural de Uberaba, Guilherme de Oliveira Junior, mais conhecido como Menino Mestiço é tido como uma dos grandes letristas da região. Escrevendo desde 2007, suas letras fomentam reflexão, constroem diálogos e empodera aqueles que são invisibilizados pela sociedade. Atuante na cultura Hip-Hop desde 2011 através das batalhas de MCs, em 2015 conseguiu de forma independente distribuir sua primeira mixtape "Abençoado Seja o Que Acredita em Si Mesmo" , contendo as canções "Cantiga de Roda", "Queijo Minas" e "Negro Não Nego" música que ficou em terceiro lugar no Festival de Música autoral de Uberaba. No ano seguinte, se consolida como promessa na região com sua segunda mixtape "Abençoado Seja o Que Acredita e Vai à Luta" , com destaques para os sons "Sem Sinal de Vida", "Anos 2000" e "Gatilho da Revolução. O artista também é responsável por inúmeras atividades como apres

BATE-PAPO COM JOÃO CARLOS NOGUEIRA

Por: André Montandon João Carlos Paranhos Nogueira  é um dos grandes nomes do esporte uberabense. Seu currículo é inspirador, abrange prêmios de destaque do ano, participações e títulos em importantes competições do país. Fera na natação, no triatlo e na maratona aquática, João começou a praticar esporte bem cedo, aos seis anos de idade.  Nas piscinas, são vários pódios, destaque para os títulos no Circuito Brasil e Circuito Paraolímpico. Em 2011, iniciou no Paratriathlon, também conseguindo bons resultados, como a Copa Brasil de 2018. Em 2014, começou na maratona aquática, com diversos títulos na categoria PCD  e sempre estando entre os melhores também contra nadadores sem deficiência, na categoria master. Medalhas em eventos importantes como no Desafio Aquaman, no Circuito de Maratona Aquática do Estado de São Paulo, na Travessia dos Fortes e o Circuito Rei e Rainha do Mar. No ano passado, mais um feito marcante em sua carreira, foi campeão na 52ª edição da Maratona Aquátic