Pular para o conteúdo principal

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - MANILLÊ


Por: André Montandon

Cantora e compositora, Manillê, tem a música correndo em suas veias desde cedo, tendo nos videoclipes uma grande influência. Mas a decisão de trocar uma "vida cotidiana" para investir no sonho de brilhar nos palcos, aconteceu durante a faculdade.

Esse ano, ela chegou com tudo e emplacou logo de cara o hit "Não vai ter Jeito", que já conta com mais de 5 mil visualizações no seu canal no Youtube.  

Confira a seguir, a nossa entrevista com um dos novos nomes da música uberabense, Manillê:

- Como a música entrou em sua vida?

Manillê - A música sempre esteve na minha vida, desde que eu me lembro eu assistia clipes no orkut e tinhas videos salvos no meu computado antigo. O visual sempre me chamou atenção, então sempre fui apaixonada pelos vídeos das faixas e toda a construção audiovisual que acompanhava as canções. Não tem um dia sequer que eu não escute a minha playlist, seja quando estou no ônibus ou no momento que faço meus exercícios. 

- Em que momento você decidiu que era isso que queria, investir na carreira artística?

Manillê - Acredito que tenha sido no terceiro período da minha faculdade de audiovisual. As disciplinas começaram a ficar técnicas demais e eu fui me dando conta de que eu não queria trabalhar atrás das câmeras e sim de frente pra elas. Decidi que não tinha sentido eu viver fazendo algo que eu não sou apaixonada, indo dormir todo dia imaginando algo que nunca se realizaria. Foi a melhor escolha que eu já tomei na vida!


- Como foi o processo de escolha do nome artístico?  

Manillê - Eu sempre quis que começasse com “M”, gosto dessa letra. Determinei que seria “Manila” mas logo descobri que já existia uma drag com esse nome, coloquei um “L” a mais e o “E” no final. Assim ficou um nome unissex e que agradou a todos. 

- Quais são as suas principais referências na cena musical?  

Manillê - Acredito que a Pabllo Vittar abriu muitas portas aqui no Brasil, ela apareceu nos grandes canais de televisão e as músicas dela tocaram na rádio como grandes sucessos. Por ser uma figura drag que conquistou tudo isso, ela me inspira muito a correr atrás do meu sonho. Sem contar no fato que o sucesso dela se iniciou aqui pertinho, em Uberlândia.

- Como foi o processo de composição e produção do single "Não vai ter jeito"?

Manillê - Eu escrevi “Não Vai Ter Jeito” quando eu trabalhava na minha antiga faculdade. O setor tinha dias que era meio “parado” e eu comecei a anotar umas ideias de versos nos bloquinhos de anotações que a gente usava. Quando surgia uma ideia de melodia eu ia no banheiro e gravava com o meu celular pra não me esquecer. Procurei um produtor musical e viajei pra Uberlândia pra discutir e gravar a faixa, demorou mas valeu muito a pena. Quando eu ouvi pela primeira vez a música pronta foi uma das sensações mais loucas da minha vida. 

- Você esperava tanto sucesso já em seu primeiro lançamento?

Manillê - Eu esperava surpreender as pessoas positivamente com o meu trabalho, mas não esperava tantas visualizações. Tenho muita sorte de ter muitos amigos que acreditaram em mim e me ajudaram a divulgar esse projeto, sem eles eu não teria nem metade dos resultados que consegui. Fiquei muito feliz com o alcance que teve a minha estreia.


- Como está o seu processo criativo nesse momento de isolamento social devido a pandemia do COVID-19? Tem previsão de lançamento de novos hits ou EP para esse ano?

Manillê - A quarentena muitas vezes acaba com o meu dia, mas não com todos eles haha. Estou compondo bastante, as ideias aparecem pra mim e eu não estou deixando passar nada batido. Tenho algumas faixas escritas e outras em fase de produção, mas a pandemia deixa qualquer processo mais lento. Eu quero muito lançar música ainda este ano, é uma das minhas metas. Quanto a lançar um EP, eu gosto BASTANTE dessa ideia. 

- Para finalizar, manda um recado para galera que é fã do seu trabalho e está ligado no zebunarede.com. 

Manillê - Olá galera do zebu na rede, Manillê tá só começando e vai ter muita novidade pra vocês em breve. Fiquem ligadinhos nas minhas redes sociais, porque eu estou trabalhando MUITO em novos projetos pra todos os públicos. Se cuidem e usem máscara! 😘😘



Curtiu esse entrevista?
Quer saber mais sobre a artista?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RECEPÇÃO CALOROSA AOS NOSSOS ATLETAS PARALÍMPICOS!!!

  Foi realizado na  manhã desta quarta-feira (08), uma merecida homenagem aos atletas da  Associação dos Deficientes Físicos de Uberaba - ADEFU, que representaram a nossa cidade e o Brasil nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020. Foto: Equipe zebunarede Ercileide Silva , José Carlos Chagas e Poliana Sousa desfilaram em caminhão do Corpo de Bombeiros pelas principais avenidas de Uberaba, recebendo durante todo o percurso o carinho da população. A carreata teve início na sede da Fundação Municipal de Esporte e Lazer - FUNEL, localizada no Cemea Abadia, até o Centro Administrativo da Prefeitura, no bairro Mercês, onde foram recepcionados pela prefeita Elisa Araújo, servidores, imprensa e demais autoridades. Estivemos presente nesta linda homenagem aos nossos queridos atletas. E é claro que gravamos uma "palavrinha" com cada um deles. Confira os detalhes a seguir:  Em seguida foi realizada no Anfiteatro Mário Pimenta Camargo do Centro Administrativo uma coletiva de imprensa com o

UFTM ENTRE AS MELHORES UNIVERSIDADES DO MUNDO

  A  Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM ,   estreia no ranking do  Times Higher Education World University Rankings 2022 , considerada uma das mais importantes publicações de análise do ensino superior no mundo.  Foto: UFTM Responsável pelo levantamento, a revista britânica Times Higher Education inclui nesta edição, mais de 1.600 universidades de 99 países e territórios. Os indicadores de desempenho utilizado estão agrupados em cinco áreas: Ensino, Pesquisa, Citações, Perspectiva internacional e Renda da indústria. A classificação teve com base os dados fornecidos pelos discentes, docentes, instituições, governos e indústria. Foram analisados mais de 108 milhões de citações em mais de 14,4 milhões de publicações de pesquisa e  respostas de quase 22.000 acadêmicos em todo o mundo. Um ponto interessante nesta edição é que as Universidades que desenvolveram pesquisas sobre a Covid-19 obtiveram melhor desempenho. Entre as 59 universidades brasileiras que integram o ranking,