Pular para o conteúdo principal

BATE-PAPO COM O ATLETA RAFAEL MINEIRO


Por: André Montandon

Rafael comemorando o titulo do NBB 2015-16. Foto:Fanpage
De volta ao flamengo e em grande fase na carreira, o pivô uberabense Rafael Mineiro é nome certo na seleção brasileira comandada por Aleksandar Petrovic. Sendo um dos grandes responsáveis pela classificação da seleção para o Mundial de Basquete que será realizado em agosto na China. 

Com passagens por Franca, Paulistano, São José, Pinheiros, Limeira e Bauru, Mineiro coleciona títulos nacionais e pela seleção, como o Sul-Americano de 2010 e o Pan de 2015. Aproveitando esse momento especial, batemos um papo com o atleta para conhecer um pouco mais da sua trajetória no esporte, metas na carreira e a expectativa para o Mundial. Confira:

- Quando começou o seu interesse pelo basquete e os primeiros passos no esporte?

Rafael Mineiro - Eu sempre gostei muito de esporte, pratiquei natação, futebol e quando ainda jogava futebol eu fui assistir um treino do meu irmão no Clube Uirapuru, onde ele já praticava basquete. Quando o técnico me viu, falou "Nossa como você é grande! Você não quer vir aqui treinar um dia com a gente, experimentar como é?". Eu tinha gostado de assistir, foi o primeiro treino do meu irmão que assisti, me interessei e falei: "ah, vou praticar um dia, vou ariscar um treino". E foi amor à primeira vista! Cara, desde então, eu não consegui mais parar de pensar no basquete, eu fui um dia, voltei e acabei sendo escrito, jogando pouco tempo para Uberaba. Foram apenas 5 meses e depois do campeonato, que era bem curto, tive a oportunidade de ir para o estado de São Paulo, em Sorocaba, onde tudo deslanchou.

- Quem são seus ídolos (dentro ou fora do esporte)? 

Rafael Mineiro - Bom, as duas pessoas que eu tenho admiração, um eu joguei com ele, que é o Marcelinho Machado , um cara muito inteligente, que entende muito do jogo e eu tive oportunidade de conhece-ló também fora das quadras, um amigo pessoal e que tenho uma admiração muito grande. O outro é o Varejão, que eu estou jogando junto no Flamengo, uma pessoa que já participou das maiores ligas do Mundo, jogou muito tempo na Europa e na NBA. É um cara que entende muito, é humilde, um ídolo para mim.

- Você já defendeu grandes clubes, como o Flamengo onde está atualmente. Mas vestir a "amarelinha" e defender o país, deve ser um momento mágico para o atleta. Pode nos descrever esse sentimento?

Rafael Mineiro - Com certeza defender grandes clubes é importante para a carreira de qualquer atleta, mas o ápice com certeza é vestir a amarelinha, estar na seleção brasileira é um momento mágico. Quando sai a convocação, você sente uma felicidade enorme e quando você chega lá, começa a treinar e tudo,  e aquele frio na barriga gostoso que dá de defender a Seleção Brasileira. Você sabe que ali você está defendendo não só um país, mas acho que um sonho de muita gente. Então é um momento muito magico e especial.

Rafael comemorando com equipe o titulo do Panamericano de 2015. Foto: Washington Alves/Exemplus/COB
- Podemos afirmar que você está na melhor fase de sua carreira?

Rafael Mineiro - Sim, com certeza me sinto no melhor momento da minha carreira, estou numa grande equipe e defendendo a seleção brasileira, um pouco mais experiente. Com certeza estou me sentindo muito bem nesse momento.

- Qual é a expectativa para esse Mundial, principalmente após esses dois últimos jogos das eliminatórias onde a seleção realizou ótimas atuações? 

Rafael Mineiro - O Brasil conseguiu uma boa classificação no último Mundial, ficou em sexto lugar. Mas com certeza, a gente ainda almeja uma medalha, né. Então a expectativa é que a gente possa fazer o nosso melhor, estar bem. Nós vamos ter um tempo maior de preparação para ir em busca de uma medalha.

- Você já conquistou diversos títulos pelas equipes que defendeu e com a seleção.  E quais os desafios que ainda almeja na carreira?  

Rafael Mineiro - Eu conquistei muito títulos sim por clubes e pela seleção brasileira. Mas ainda tenho alguns sonhos: não disputei o mundial pela seleção brasileira e nem uma Olimpíada. Isso ainda, é um sonho. Em questão de títulos pelos Clubes, ainda falta o mundial de clubes, o qual já disputei 3 vezes, conquistando o vice-campeão.

Pra finalizar, manda um recado pra galera de Uberaba que acompanha a sua carreira e torce pelo o seu sucesso.

Rafael Mineiro - Só agradecer. Dizer um muito obrigado a todos de Uberaba que sempre me dão muito carinho, seja nas redes sociais ou ou até mesmo quando estou na cidade. E dizer que sempre vou levar o nome de Uberaba com muito orgulho. Muito obrigado a todos.

Muito obrigado pela atenção Rafael, continuamos torcendo pelo o seu sucesso!!

Curtiu a entrevista? Quer saber mais sobre o atleta?






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - INSURGÊNCIA SERTANEJA

Por: André Montandon e Verônica Furtado
Formada por Jéssica Carvalho (violão e voz), João Chiaratti (percussão, viola e voz), Karine Rodrigues (violino e voz), Maycol Mundoca (alfaia e voz) e Pedro Calota (percussão, violão e voz), a Insurgência Sertaneja é uma banda de música autoral uberabense, que trabalha os diversos ritmos melódicos e poéticos do sertão. Em uma mistura de música e poesia, a banda faz releituras de ritmos essencialmente brasileiros, fazendo uma viagem aos sertões através de ritmos como o baião, o carimbó, o congado, a moda de viola e o cordel em busca de desmistificar o sertanejo. 
Mesmo com pouco tempo de carreira, a Insurgência Sertaneja já levou a sua arte para diversas cidades do país, em festivais e eventos, dividindo palco com grandes nomes da musica brasileira.  Além do lançamento do álbum de estreia, "Meu sotaque, minha sina", em 2017.  Agora, o "bando" (como eles mesmos denominam),  prepara um super show cheio de novidades, no dia 18 …

FIQUE LIGADO NA AGENDA CULTURAL