Pular para o conteúdo principal

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - ERVA MATT


Por: André Montandon

Erva Matt. Foto: Arquivo da banda
Uma das mais tradicionais bandas de rock independente de Uberaba, iniciou suas atividades em 1996, tendo como influência os grandes nomes do rock dos anos 80, além do fortalecimento da cena nacional.

Após 10 anos de estrada e mesmo com o grande sucesso da musica "Romeu e Julieta", decidiram "dar um tempo" na carreira após algumas frustrações.

Mas o amor pela musica falo mais alto e em 2015 eles voltaram com toda energia, com Fábio Parré na guitarra, Giovanni Dumdum na batera, Rogério Possati no baixo e Well Nandes nos vocais. Lançaram em 2017 o vídeo clipe de "Romeu e Julieta"; Esse ano,  o segundo EP em formato digital com o selo da Tratore e o vídeo clipe da musica "E vem".

Batemos um papo com baixista Rogério Possati que nos contou um pouco mais dessa história e muito mais!! Confiram:

- Do inicio em 1996 pra cá, muita coisa rolou não só com a banda, mas com a cena musical. Conte-nos um pouco da trajetória da banda? 

Rogério Possati - A ERVA MATT foi formada em novembro de 1996 por 4 jovens (Douglas, Rogério, Kaka e Wellington) todos nascidos na década de 70 e isso influenciou muito no estilo da banda porque todos nós crescemos ouvindo as bandas de 1980 e tivemos o prazer de presenciar as décadas de 1990 e depois 2000 onde o rock no Brasil e também no mundo lançou muita gente boa com muitos trabalhos memoráveis e que ainda tocam até hoje. A cena era muito diferente naquele momento pois mesmo com muitos estilos musicais crescendo no país o rock crescia muito também e muitas bandas conseguiam espaço na cena da época, hoje o rock ainda é forte porém em uma cena mais underground e aparece menos nas rádios e na mídia aberta mas o fato é que os amantes do rock continuam vivos... 

- Qual foi o grande motivador para a retomada da carreira?

Rogério Possati - A banda parou em 2006 depois de tentar tudo que podia pra colocar nosso CD demo de 2000/01 nas rádios e conseguir um contrato que era o que rolava na época uma vez que as redes sociais ainda não existiam por aqui. Em um dado momento depois de 10 anos a gente resolveu dar um tempo e cada um seguiu um rumo diferente mas sempre tivemos o desejo de voltar e sempre mantivemos contato porém a formação um pouco diferente e no lugar do Kaká tínhamos o Giovanni na batera que entrou no final de 1998. O Douglas também já havia saído da banda em 2004 e a ERVA MATT era um Power trio com Wellington, Rogério e Giovanni. O maior motivador para o retorno da banda é o mesmo que nos trás até aqui, chamado amor pela música, pelo rock e pelo nosso público...

- Falar em Erva Matt pra mim é lembrar na hora de Romeu e Julieta. Qual é a importância dessa musica para a banda?

Rogério Possati - Hahaha... Verdade!!! Essa música nos abriu muitas portas e também nos ajudou muito quando foi lançada pela Rádio América e depois todas as outras rádios da cidade acabaram tocando Romeu e Julieta... Por muito pouco a gravadora TRAMA não fechou com a gente em 2002 e depois que deu errado com eles foi pesado retomar e continuar pois a expectativa era muito grande pois a música chegou a ficar em primeiro lugar em várias emissoras de rádio aqui em Uberaba é também nas cidades da região. Até hoje quando tocamos ela nos shows, muita gente sabe cantar é muito gratificante...


- Ser uma banda independente não é tarefa nada fácil. Mas essa independência proporciona mais flexibilidade no desenvolvimento da carreira e produção dos trabalhos?

Rogério Possati - Com certeza, ser independente tem seus prós e seus contras, a maior dificuldade sem duvida é levantar grana pra fazer produções de qualidade, divulgações de peso e também conciliar o trabalho da banda com a vida pessoal de cada um, pois cada um tem uma vida fora da banda com trabalho, filhos, família, problemas como qualquer um e etc. A parte legal de ser independente é que as produções das músicas e clipes saem 100% com a cara da banda porque grandes produtores sempre colocam suas idéias e seus métodos nas músicas das bandas que produzem e no nosso caso não, nós fazemos tudo com nossos parceiros de estúdio e gravação...

- Como foi o processo de produção do novo EP apresentado no inicio desse ano com o selo da Tratore? Tem previsão do lançamento da versão física?

Rogério Possati - Este EP trás 2 músicas regravadas que são Pra Ela e Romeu e Julieta e mais 2 músicas sendo E Vem que foi feita lá trás na década de 2000 e Mudança de Estação que é uma canção nova... A TRATORE é a maior distribuidora de música independente do Brasil e isso acaba nos ajudando a divulgar nosso trabalho e também abrindo algumas possibilidades como participação em grandes eventos, Grammy's e isso torna viável manter essa parceria por enquanto. Estamos trabalhando mais duas novas músicas que serão lançadas no inicio de 2019, talvez uma delas em dezembro de 2018 fique pronta. O disco físico, já pouco usado hoje em dia devido a facilidade e viabilidade das plataformas de Streaming sai em 2019 com 12 músicas e faz parte de um sonho nosso...


- Quais são expectativas e os planos para o próximo ano?

Rogério Possati - O principal objetivo é finalizar nosso disco em 2019, mas temos também muito trabalho com dois novos vídeo clipes e maior foco em investimentos nas redes sociais e plataformas de Streaming. A ideia é triplicar o investimento na divulgação do nosso trabalho de forma bem mais forte do que fizemos em 2017 e 2018. Não é uma tarefa fácil ter milhares de views em um clipe ou ter milhares de downloads de suas músicas mais sabemos que precisamos ir mais longe em 2019 e vamos fazer isso.

- Agradecemos a atenção e desejamos ainda mais sucesso pela frente. Pra finalizar , manda um recado pra galera que é fã da Erva Matt. 

Rogério Possati - Pra galera que curte nosso trabalho e acompanha a gente deixamos aqui o registro da nossa imensa gratidão, muita gente sempre nos escreve mensagens de apoio, curte e compartilha nossas músicas e clipes nas redes sociais e sempre são muito carinhosos e atenciosos com a banda nos shows, estes sem dúvida são o nosso maior bem... A vocês do Zebunarede sem palavras pois mesmo antes de nos conhecermos encontramos um compartilhamento na página de vocês do clipe de Romeu e Julieta... É muito bom receber ajuda de pessoas como vocês e também perceber o reconhecimento pelo nosso trabalho. Pra finalizar deixamos aqui o registro de que ainda levaremos o nome da nossa cidade e do nosso povo ao Brasil todo através da nossa música e é pra isso também que trabalhamos tanto com as ferramentas e recursos que temos em mãos... 😉🙏

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - MENINO MESTIÇO

Por: André Montandon e Verônica Furtado Natural de Uberaba, Guilherme de Oliveira Junior, mais conhecido como Menino Mestiço é tido como uma dos grandes letristas da região. Escrevendo desde 2007, suas letras fomentam reflexão, constroem diálogos e empodera aqueles que são invisibilizados pela sociedade. Atuante na cultura Hip-Hop desde 2011 através das batalhas de MCs, em 2015 conseguiu de forma independente distribuir sua primeira mixtape "Abençoado Seja o Que Acredita em Si Mesmo" , contendo as canções "Cantiga de Roda", "Queijo Minas" e "Negro Não Nego" música que ficou em terceiro lugar no Festival de Música autoral de Uberaba. No ano seguinte, se consolida como promessa na região com sua segunda mixtape "Abençoado Seja o Que Acredita e Vai à Luta" , com destaques para os sons "Sem Sinal de Vida", "Anos 2000" e "Gatilho da Revolução. O artista também é responsável por inúmeras atividades como apres

BATE-PAPO COM JOÃO CARLOS NOGUEIRA

Por: André Montandon João Carlos Paranhos Nogueira  é um dos grandes nomes do esporte uberabense. Seu currículo é inspirador, abrange prêmios de destaque do ano, participações e títulos em importantes competições do país. Fera na natação, no triatlo e na maratona aquática, João começou a praticar esporte bem cedo, aos seis anos de idade.  Nas piscinas, são vários pódios, destaque para os títulos no Circuito Brasil e Circuito Paraolímpico. Em 2011, iniciou no Paratriathlon, também conseguindo bons resultados, como a Copa Brasil de 2018. Em 2014, começou na maratona aquática, com diversos títulos na categoria PCD  e sempre estando entre os melhores também contra nadadores sem deficiência, na categoria master. Medalhas em eventos importantes como no Desafio Aquaman, no Circuito de Maratona Aquática do Estado de São Paulo, na Travessia dos Fortes e o Circuito Rei e Rainha do Mar. No ano passado, mais um feito marcante em sua carreira, foi campeão na 52ª edição da Maratona Aquátic