Pular para o conteúdo principal

FIM DO JOGO, VOLTA A REALIDADE - POR O BRASILEIRO


Foto: Reprodução Internet
Chegou mais uma copa.
É hora de colocar a camisa da seleção há tanto tempo guardada. De demonstrar a paixão pelo meu país, de esquecer os problemas cotidianos e torcer pelos nossos atletas. 
Jogadores entram em campo, a emoção aumenta, a pele arrepia ao som do hino. O juiz apita, a bola rola - "MOSTRA TUA FORÇA BRASIL" - jogo duro, partida empatada no inicio da caminhada. 
Próximo jogo uma nova emoção. Estamos unidos em volta da nossa seleção. O tempo passa e a partida segue. Cuzamento, bola viva na área, um CHUTE... finalmente o GOL. Alivio. Mais uma boa jogada, placar ampliado, fim de partida, vitória e um só pensamento: "AGORA VAI". 
Mais uma vitória, liderança garantida, ESTAMOS NAS OITAVAS. 
O país todo para, o orgulho aumenta, o que só importa agora é o futebol, faltam apenas 3 jogos para o final. 
Classificação confirmada, passamos para as QUARTAS.  A confiança aumenta... no trabalho, na rua, em casa só se fala em futebol. Com a galera reunida esqueço tudo que me aborrece, a alegria da copa nos contagia, nos blinda e afasta da dura realizada. 
 "Mostra tua força, Brasil / E faz da nação sua bandeira / Que a paixão da massa inteira /Vai junto com você, Brasil!"
Um adversário duro, experiente, invicto a muitos meses. Mas somos o Brasil, penta campeão, o país do futebol, vamos ser CAMPEÃO. Escanteio, olha a bola?? Dois brasileiros sobem, a bola entra, gol contra, NÃO!!! Nada de desespero, vamos virar pra cima deles... Olha eles de novo!! Boa jogada, chute fora da área....bola no fundo do gol. E agora. Será que vamos mudar essa história??
A torcida empurra, lance, chance e nada de gol. Desespero aumenta, a equipe tenta e a bola não entra. Fim de jogo eliminados de novo. E agora?? Tristeza, choro, frustração.
Adrenalina abaixa, todo mundo de volta pra casa, camisa guardada, realidade volta a tona: trabalho, estresse, contas para pagar, aumento da gasolina, da energia...
O que a gente fingiu não ver nesses dias de jogo volta a fazer parte da nossa realidade.  Somos brasileiros,  temos sim algum orgulho do nosso país, sabemos que juntos, unidos, podemos muito mais, na luta diária do trabalho e da família, vamos vencendo dia após dia, e a nossa VITÓRIA acaba sendo a esperança de melhorar, ainda que tardia, preferimos acreditar que dias melhores virão.

Ass. O BRASILEIRO

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ATLETAS DA ADEFU CONQUISTAM ÓTIMOS RESULTADOS NO BRASILEIRO DE BOCHA

Realizado no Centro de Treinamento Paralímpico em São Paulo, entre os dias 14 a 17 de novembro, o Campeonato Brasileiro de Bocha reuniu os melhores paratletas das classes BC1, BC2, BC3 e BC4 do país, para a disputa por equipes, pares e individual. Representando a Região Centro-oeste, Ercileide Laurinda da Silva, José Carlos Chagas, Leonardo Silva Carone e Mariana Ramos da Silva da ADEFU/Uberaba, obtiveram grandes resultados.
Zé Carlos e Mariana Ramos foramvice-campeões na disputa por equipes classe BC1/BC2, ao lado de André Luiz Barroso (ADD/MS), Cristiano Pereira Silva (APARU/MG) e Eduardo Vasconcelos (CETEFE-DF). Medalha de prata conquistada também pelo Zé Carlos na categoria individual.

Já na classe BC4,  Ercileide(Campeã regional Centro-oeste) e Leo Caroni conquistaram ao lado de Pedro Henrique Silva (APARU/MG), a medalha de bronze na disputada em pares. Pódio repetido também pelos uberabenses na categoria individual, Ercileide ficando com a Prata e Leo com o bronze.

Mais um grand…

BATE-PAPO COM O TENISTA JOÃO MENEZES

Por: André Montandon


Com apenas 22 anos, João Menezes já é um dos principais nomes do tênis brasileiro. Vivendo o seu melhor momento na carreira, o uberabense ocupa atualmente a 210º posição no ranking mundial da ATP (Associação de Tenistas Profissionais), sendo o terceiro melhor brasileiro. Apaixonado pelo esporte, o atleta contou com a influência e o apoio da família no desenvolvimento no tênis. Agora com a conquista da medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos, busca alcançar grandes títulos e chegar forte nas Olimpíadas de Tokio 2020.
Mas nem sempre foi assim. João passou por momentos difíceis nessa trajetória, pensando até em abandonar o esporte devido a resultados que não vinham e principalmente, pelas três cirurgias no joelho esquerdo e uma lesão na coluna. Mas, pelo apoio do pai, seu grande incentivador, ele retomou os treinamentos em busca dos seus sonhos. 
Confira o nosso bate-papo com esse grande atleta uberabense:
- João, quando começou o seu interesse pelo tênis; os primeir…