Pular para o conteúdo principal

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - ACIDOGROOVE


Por: André Montandon


Banda Acidogroove. Foto: Reprodução internet
A banda já possui uma longa caminhada na estrada da vida, colecionando prêmios, críticas e parcerias interessantes no cenário musical brasileiro. No primeiro ano, em 2006, lançaram o EP "Acidogroove", consagrando entre os 10 melhores singles & demos independentes, pelo portal Senhor F. Conquistaram o Prêmio Toddy de Música Independente e a Trama Virtual a escolheu como a 2ª banda de destaque em 2006. Em 2009, participaram do Tributo ao Álbum Branco dos Beatles chamado Indie Versions. Em 2010, lançaram o 3º EP "Lampejo" e em 2011 o primeiro álbum em estúdio, "Talvez hoje eu tope um plural"

Após um longo período dedicado ao segundo álbum, o grupo formado atualmente por Fred Pinheiro (voz e guitarra), Claudio Costa (baixo e voz) e Leonardo Kopa (bateria e voz) voltaram aos palcos. Aproveitamos esse retorno para bater um papo com eles, confira:

Nesses 10 anos de estrada a banda conquistou fãs e diversos prêmios. Em qual momento dessa trajetória vocês pensaram que a banda iria dar certo?

Fred Pinheiro - Quando lançamos nosso primeiro EP com três músicas em 2006; a intenção era de verificar como estávamos soando, além de oficializar o registro. Foi totalmente despretensioso. Estávamos num momento ótimo, todos curtindo muito as músicas. Mas foi com este EP que conseguimos a maior repercussão da banda. Ganhamos o principal prêmio da música independente, Prêmio Dynamite (nesta edição com Prêmio Toddy de Música Independente). Fomos revelação no Portal Senhor F de Fernando Rosa, figura chave pra música independente nacional. Destaque também no Trama Virtual diversas vezes.
Enfim... neste momento sentimos que algo estava acontecendo com a banda, mas não tínhamos maturidade para aproveitar todo o potencial. Aconteceu rápido demais.

Qual foi prêmio que vocês conquistaram que possui maior importância? 

Fred Pinheiro - Prêmio Dynamite, nesta edição com Prêmio Toddy de Música Independente. Ganhamos em 2006 como Revelação.



Conheça o novo álbum: spotify.com

O dia 19 de novembro foi marcado pelo lançamento oficial do novo disco da banda, intitulado de "Acidogroove". Como foi a construção de novo trabalho em estúdio? 

Fred Pinheiro - Lançamos no Laboratório 96. Esta é uma etapa muito importante pra banda, somos um trio e o trabalho em estúdio foi uma experiência diferente, ele precisava registrar essa fase sonoricamente. Abandonamos as sobreposições de guitarra, queríamos soar com uma sonoridade crua e valorizando o silêncio. Fizemos uma pré produção antes de entrar em estúdio com o Guilherme Brasil (ex guitarrista da banda). Convidamos para a produção do disco Edson Zaca, que trouxe algo diferente.
Estamos satisfeitos com o trabalho, conseguimos traduzir o que somos hoje. O retorno do público sinaliza bem isso também, se trata de um disco diferente sonoricamente de nossos trabalhos e que precisa de algumas audições para entender a atmosfera.  





Show de Lançamento do novo disco. Foto: Reprodução internet
O show de lançamento do disco parecia que não iria sair, devido alguns imprevistos. Vocês pensaram em deixar esse lançamento para 2017?

Fred Pinheiro -Pois é... parecia um enrosco rsrsrs. Fiquei doente, tive uma faringite o que me impossibilitou de cantar. Na segunda vez, caiu uma tempestade, a Fundação Cultural cancelou.
Pro lançamento atrapalhou muito estes imprevistos; atrasamos o lançamento, o público já não acreditava mais que iria ter enfim... mas por outro lado foi ótimo, lançamos no Laboratório 96.

No Lab foi demais, o público prestigiou o lançamento, curtiu o show; foi incrível.
O disco precisava ser lançado em 2016. A banda não segue grandes estratégias mercadológicas não, vamos de acordo com nossas necessidades como artistas e a nossa era de expurgar o disco em 2016; fizemos. Pra 2017 sei lá o que vai acontecer, não nos preocupamos, só queremos produzir material novo e apresentar para o público. Trabalharemos nossa agenda de shows e num clipe.

- Quais as dificuldades enfrentadas pelas bandas independentes no Brasil e principalmente em Uberaba?

Fred Pinheiro - Dificuldades sempre existirão, externas e internas. Somos uma banda com integrantes que possuem outros trabalhos não relacionados à música. O tempo de dedicação pra música diminui, mas não atrapalha.
Olha só, eu acho que tá tudo certo sabe; a música independente no Brasil está muito bem estruturada, temos muitas bandas legais produzindo ótimos trabalhos, temos ótimos festivais acontecendo, ótimas casas de shows. Meu início com a música não tinha muita coisa não, fazíamos tudo na raça, muito mais que hoje.
Hoje a coisa tá linda, tudo está muito melhor; a divulgação do trabalho principalmente.
Claro que as exigências aumentaram, mas isso é normal em qualquer mercado.
Uberaba tá bem demais, temos bandas autorais muito boas, temos locais legais pra apresentar o trabalho, temos um selo (Sapólio Rádio). Leth e  Bruna com o Laboratório 96 potencializaram muito essa melhora. Elas fazem um trabalho importantíssimo.

Desejamos à vocês sucesso nesse novo disco. E que venham mais 10, 20, 30 anos de carreira.

Curtiu a entrevista? Quer saber mais sobre o Acidogrove, acesse:

http://acidogroove.com.br/

https://www.facebook.com/acidogroove/?fref=ts

https://www.youtube.com/user/bandaacidogroove

Conheça também o novo álbum: spotify.com



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CONHEÇA BEN HEINE

Ben Heine. Foto: Reprodução internet Ben Heine  é um talentoso artista belga, que cria surpreendentes desenhos tridimensionais. Depois de finalizar o trabalho, Ben Heine tira fotos de si mesmo interagindo com sua obra e o resultado é surpreendente. Ele descreve a si mesmo como um artista visual multidisciplinar que é inspirado pelas pessoas e pela natureza.  Heine cresceu em Abidjan, Costa do Marfim, onde viveu por sete anos com seus pais e três irmãs antes de volta para Bruxelas em 1990. Ele é conhecido internacionalmente por seus trabalhos muito criativos projetos  “Pencil Vs Camera“  e "Circlism Digital" .   O primeiro, envolve a mistura de desenho e fotografia, a imaginação e a realidade, através da ilusão e do surrealismo. No segundo projeto, Heine geralmente faz retratos de celebridades / ícones culturais com ferramentas digitais usando círculos planos sobre um fundo preto. Cada círculo tem uma única cor e um único tom. Através do uso de softwares gráficos

BATE-PAPO COM JOÃO CARLOS NOGUEIRA

Por: André Montandon João Carlos Paranhos Nogueira  é um dos grandes nomes do esporte uberabense. Seu currículo é inspirador, abrange prêmios de destaque do ano, participações e títulos em importantes competições do país. Fera na natação, no triatlo e na maratona aquática, João começou a praticar esporte bem cedo, aos seis anos de idade.  Nas piscinas, são vários pódios, destaque para os títulos no Circuito Brasil e Circuito Paraolímpico. Em 2011, iniciou no Paratriathlon, também conseguindo bons resultados, como a Copa Brasil de 2018. Em 2014, começou na maratona aquática, com diversos títulos na categoria PCD  e sempre estando entre os melhores também contra nadadores sem deficiência, na categoria master. Medalhas em eventos importantes como no Desafio Aquaman, no Circuito de Maratona Aquática do Estado de São Paulo, na Travessia dos Fortes e o Circuito Rei e Rainha do Mar. No ano passado, mais um feito marcante em sua carreira, foi campeão na 52ª edição da Maratona Aquátic