Pular para o conteúdo principal

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - ACIDOGROOVE


Por: André Montandon


Banda Acidogroove. Foto: Reprodução internet
A banda já possui uma longa caminhada na estrada da vida, colecionando prêmios, críticas e parcerias interessantes no cenário musical brasileiro. No primeiro ano, em 2006, lançaram o EP "Acidogroove", consagrando entre os 10 melhores singles & demos independentes, pelo portal Senhor F. Conquistaram o Prêmio Toddy de Música Independente e a Trama Virtual a escolheu como a 2ª banda de destaque em 2006. Em 2009, participaram do Tributo ao Álbum Branco dos Beatles chamado Indie Versions. Em 2010, lançaram o 3º EP "Lampejo" e em 2011 o primeiro álbum em estúdio, "Talvez hoje eu tope um plural"

Após um longo período dedicado ao segundo álbum, o grupo formado atualmente por Fred Pinheiro (voz e guitarra), Claudio Costa (baixo e voz) e Leonardo Kopa (bateria e voz) voltaram aos palcos. Aproveitamos esse retorno para bater um papo com eles, confira:

Nesses 10 anos de estrada a banda conquistou fãs e diversos prêmios. Em qual momento dessa trajetória vocês pensaram que a banda iria dar certo?

Fred Pinheiro - Quando lançamos nosso primeiro EP com três músicas em 2006; a intenção era de verificar como estávamos soando, além de oficializar o registro. Foi totalmente despretensioso. Estávamos num momento ótimo, todos curtindo muito as músicas. Mas foi com este EP que conseguimos a maior repercussão da banda. Ganhamos o principal prêmio da música independente, Prêmio Dynamite (nesta edição com Prêmio Toddy de Música Independente). Fomos revelação no Portal Senhor F de Fernando Rosa, figura chave pra música independente nacional. Destaque também no Trama Virtual diversas vezes.
Enfim... neste momento sentimos que algo estava acontecendo com a banda, mas não tínhamos maturidade para aproveitar todo o potencial. Aconteceu rápido demais.

Qual foi prêmio que vocês conquistaram que possui maior importância? 

Fred Pinheiro - Prêmio Dynamite, nesta edição com Prêmio Toddy de Música Independente. Ganhamos em 2006 como Revelação.



Conheça o novo álbum: spotify.com

O dia 19 de novembro foi marcado pelo lançamento oficial do novo disco da banda, intitulado de "Acidogroove". Como foi a construção de novo trabalho em estúdio? 

Fred Pinheiro - Lançamos no Laboratório 96. Esta é uma etapa muito importante pra banda, somos um trio e o trabalho em estúdio foi uma experiência diferente, ele precisava registrar essa fase sonoricamente. Abandonamos as sobreposições de guitarra, queríamos soar com uma sonoridade crua e valorizando o silêncio. Fizemos uma pré produção antes de entrar em estúdio com o Guilherme Brasil (ex guitarrista da banda). Convidamos para a produção do disco Edson Zaca, que trouxe algo diferente.
Estamos satisfeitos com o trabalho, conseguimos traduzir o que somos hoje. O retorno do público sinaliza bem isso também, se trata de um disco diferente sonoricamente de nossos trabalhos e que precisa de algumas audições para entender a atmosfera.  





Show de Lançamento do novo disco. Foto: Reprodução internet
O show de lançamento do disco parecia que não iria sair, devido alguns imprevistos. Vocês pensaram em deixar esse lançamento para 2017?

Fred Pinheiro -Pois é... parecia um enrosco rsrsrs. Fiquei doente, tive uma faringite o que me impossibilitou de cantar. Na segunda vez, caiu uma tempestade, a Fundação Cultural cancelou.
Pro lançamento atrapalhou muito estes imprevistos; atrasamos o lançamento, o público já não acreditava mais que iria ter enfim... mas por outro lado foi ótimo, lançamos no Laboratório 96.

No Lab foi demais, o público prestigiou o lançamento, curtiu o show; foi incrível.
O disco precisava ser lançado em 2016. A banda não segue grandes estratégias mercadológicas não, vamos de acordo com nossas necessidades como artistas e a nossa era de expurgar o disco em 2016; fizemos. Pra 2017 sei lá o que vai acontecer, não nos preocupamos, só queremos produzir material novo e apresentar para o público. Trabalharemos nossa agenda de shows e num clipe.

- Quais as dificuldades enfrentadas pelas bandas independentes no Brasil e principalmente em Uberaba?

Fred Pinheiro - Dificuldades sempre existirão, externas e internas. Somos uma banda com integrantes que possuem outros trabalhos não relacionados à música. O tempo de dedicação pra música diminui, mas não atrapalha.
Olha só, eu acho que tá tudo certo sabe; a música independente no Brasil está muito bem estruturada, temos muitas bandas legais produzindo ótimos trabalhos, temos ótimos festivais acontecendo, ótimas casas de shows. Meu início com a música não tinha muita coisa não, fazíamos tudo na raça, muito mais que hoje.
Hoje a coisa tá linda, tudo está muito melhor; a divulgação do trabalho principalmente.
Claro que as exigências aumentaram, mas isso é normal em qualquer mercado.
Uberaba tá bem demais, temos bandas autorais muito boas, temos locais legais pra apresentar o trabalho, temos um selo (Sapólio Rádio). Leth e  Bruna com o Laboratório 96 potencializaram muito essa melhora. Elas fazem um trabalho importantíssimo.

Desejamos à vocês sucesso nesse novo disco. E que venham mais 10, 20, 30 anos de carreira.

Curtiu a entrevista? Quer saber mais sobre o Acidogrove, acesse:

http://acidogroove.com.br/

https://www.facebook.com/acidogroove/?fref=ts

https://www.youtube.com/user/bandaacidogroove

Conheça também o novo álbum: spotify.com



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

BATE-PAPO COM O TENISTA JOÃO MENEZES

Por: André Montandon


Com apenas 22 anos, João Menezes já é um dos principais nomes do tênis brasileiro. Vivendo o seu melhor momento na carreira, o uberabense ocupa atualmente a 210º posição no ranking mundial da ATP (Associação de Tenistas Profissionais), sendo o terceiro melhor brasileiro. Apaixonado pelo esporte, o atleta contou com a influência e o apoio da família no desenvolvimento no tênis. Agora com a conquista da medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos, busca alcançar grandes títulos e chegar forte nas Olimpíadas de Tokio 2020.
Mas nem sempre foi assim. João passou por momentos difíceis nessa trajetória, pensando até em abandonar o esporte devido a resultados que não vinham e principalmente, pelas três cirurgias no joelho esquerdo e uma lesão na coluna. Mas, pelo apoio do pai, seu grande incentivador, ele retomou os treinamentos em busca dos seus sonhos. 
Confira o nosso bate-papo com esse grande atleta uberabense:
- João, quando começou o seu interesse pelo tênis; os primeir…

ATLETAS DA ADEFU CONQUISTAM ÓTIMOS RESULTADOS NO BRASILEIRO DE BOCHA

Realizado no Centro de Treinamento Paralímpico em São Paulo, entre os dias 14 a 17 de novembro, o Campeonato Brasileiro de Bocha reuniu os melhores paratletas das classes BC1, BC2, BC3 e BC4 do país, para a disputa por equipes, pares e individual. Representando a Região Centro-oeste, Ercileide Laurinda da Silva, José Carlos Chagas, Leonardo Silva Carone e Mariana Ramos da Silva da ADEFU/Uberaba, obtiveram grandes resultados.
Zé Carlos e Mariana Ramos foramvice-campeões na disputa por equipes classe BC1/BC2, ao lado de André Luiz Barroso (ADD/MS), Cristiano Pereira Silva (APARU/MG) e Eduardo Vasconcelos (CETEFE-DF). Medalha de prata conquistada também pelo Zé Carlos na categoria individual.

Já na classe BC4,  Ercileide(Campeã regional Centro-oeste) e Leo Caroni conquistaram ao lado de Pedro Henrique Silva (APARU/MG), a medalha de bronze na disputada em pares. Pódio repetido também pelos uberabenses na categoria individual, Ercileide ficando com a Prata e Leo com o bronze.

Mais um grand…