Pular para o conteúdo principal

UBERABENSES FAZEM HISTÓRIA NAS PARALIMPÍADAS DO RIO 2016


As medalhas não apareceram, mas todos os uberabenses que participaram dos Jogos Paralímpicos Rio-2016, fizeram história na maior competição do planeta.

Foto: Reprodução da internet

Único brasileiro na disputa individual da classe BC1 de bocha, José Carlos Chagas chegou às quartas de final. Empurrado pelo público caloroso, que incentivou o tempo todo na Arena Carioca 2, ele fez bonito e chegou a vencer nos finais dos "ends", mas acabou não resistindo à estratégia de bolas longas do português Antonio Marques. Com a virada, o resultado final foi de 4 a 3 para o português.

José Humberto Rodrigues (conhecido como Batata), também fez bem na final do lançamento de dardo masculino – classe F54/F53, ficando em quarto lugar. Foi o brasileiro melhor colocado na modalidade, alcançando 23m41 – apenas 15 cm a menos do que o terceiro colocado (bronze).

Poliana Sousa também marcou seu nome na competição mundial. Foi a brasileira melhor colocada na final do lançamento de dardo feminino F53/F54, com a quinta colocada na disputa. 

Raíssa Rocha Machado, ficou em sexto lugar na final do lançamento de dardo da classe F56 , com a marca de 18m57, sendo a brasileira melhor colocada nesta modalidade. Na primeira etapa do aberto de paratletismo, no Rio de Janeiro, evento que antecedeu a Paralimpíada Rio-2016, Raíssa foi ouro no lançamento de dardos e bateu o próprio recorde nacional com a marca de 19m22.

Parabéns aos atletas da Adefu, José Carlos Chagas, José Humberto Rodrigues, Raíssa Rocha e Poliana de Jesus, e para os técnicos Janaína Pessato Jerônimo, Nivaldo Batista e Higor Fiorine.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - MARCELO JENECI

Por: André Montandon 
Desembarga em Uberaba nesse sábado (19), um dos grandes nomes da nova música popular brasileira para uma apresentação especial no Laboratório 96. Pela primeira vez na cidade, Marcelo Jeneci, chega com a turnê de lançamento do seu terceiro álbum, Guaia, onde o artista volta as suas origens ao homenagear Guaianases, zona leste de São Paulo, bairro em que nasceu. Além de trazer experimentos musicais que se juntam à famosa sanfona do cantor e compositor, em uma mescla de acústicos, sintéticos e regionais que resgatam a trajetória de Jeneci ao longo de sua formação musical.

Aproveitamos essa ilustre visita, para bater um papo exclusivo com esse grande artista. Confira 😉
- Conte-nos um pouco sobre o seu novo álbum, Guaia, que remete as suas origens, e que contou com grandes participações?

Marcelo Jeneci - Guaia, porque sou de guaianases, da zona leste de São Paulo. Porque eu cresci na escola pública, "Viva os professores!". Tendo uma família em que minha mãe m…

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - MÁRCIO ANDRÉAS

Por: André Montandon
Com 20 anos de carreira, o músico e compositor uberabense Marcio Andréas, lançou em 2016 o seu primeiro trabalho solo "Cada um na sua galáxia". Foi vocalista dos Baltazares, banda de rock bastante conhecida no circuito independente de Minas Gerais. Em seu novo projeto lançado no final de 2019, intitulado de "O Jardim", o músico apresenta um som bastante original, com mais maturidade. As canções passeiam pelo rock, folk e mpb, mas tudo em perfeita sintonia mostrando uma profunda evolução alcançada em todos esses anos de estrada.
Com uma agenda bastante movimentada o músico se apresenta em vários formatos: shows mais intimistas, pocket shows, ou acompanhado de uma banda extremamente competente que vem arrancando elogios por onde passa, sendo considerado uma grande promessa da nova música mineira. Em seu currículo, o músico ostenta apresentações ao lado de grandes nomes do cenário nacional como: Pato Fu, Biquini Cavadão, Tico santa Cruz, Raimundos…