Pular para o conteúdo principal

Uberaba realiza estudos para se adequar à Lei da Mobilidade Urbana

Municípios com população acima de 20 mil habitantes têm de elaborar, até janeiro de 2015, um plano de mobilidade urbana atrelado ao plano diretor, sob pena de perderem recursos federais destinados à área. A determinação está estabelecida na Lei Federal 12.587, de 2012, que instituiu a Política Nacional de Mobilidade Urbana.
A lei tem como objetivos melhorar a acessibilidade e a mobilidade das pessoas e cargas nos municípios. A matéria dá prioridade a meios de transporte não motorizados e ao serviço público coletivo, além de prever a integração entre os modos e serviços de transporte urbano. Prevê, ainda, a aplicação de tributos para utilização da infraestrutura urbana, visando a desestimular o uso de “determinados modos e serviços de mobilidade”. Mas garante que os recursos obtidos por esse meio serão aplicados exclusivamente em infraestrutura urbana “destinada ao transporte público coletivo e ao transporte não motorizado”, e no financiamento do subsídio público da tarifa de transporte público.

Em Minas, existem 178 municípios nessa condição, segundo estimativas de 2010 do IBGE, dentre elas Uberaba, que tem 302,623 mil habitantes. Antes, a obrigação era imposta somente às cidades com mais de 500 mil habitantes.

Segundo informações do Departamento de Comunicações da Prefeitura de Uberaba, reuniões neste sentido estão sendo feitas para discutir o plano diretor e o plano de mobilidade urbana, para formatar e revisar o plano para o município. 

Entretanto, mesmo antes da aprovação do plano, pelo menos um item já está em fase de implantação, que é o sistema de Transporte Rápido por Ônibus (BRT), cujas obras dos terminais de transporte coletivo leste e oeste estão em andamento. 

“Uberaba tem realizado reuniões e trabalhado no planejamento urbano. Temos o planejamento urbanístico que foi feito pelo urbanista Jaime Lerner, mas é bem genérico e dá uma dica para este setor. Fizemos uma avaliação no projeto e será aproveitado até como orientação. Nele tem planejamento, por exemplo, para a rotatória da ABCZ, de calçadas, mas precisamos de um projeto com mais mobilidade e paisagístico, porque Uberaba é mal organizada, não tem calçadas, a acessibilidade é um desastre, não tem uniformidade”, dia o prefeito Paulo Piau.

Uma das ideias a ser implantadas no município, de acordo com o prefeito, será colocar nas avenidas principais dos futuros conjuntos habitacionais da faixa de zero a três salários mínimos, a iluminação subterrânea para que a arborização seja livre. “Atualmente é uma competição entre árvore e as redes elétrica e telefônica, o que acaba atrapalhando. Estamos caminhando nesta direção”, observa Piau.

Fonte: www.jornaldeuberaba.com.br


 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - MENINO MESTIÇO

Por: André Montandon e Verônica Furtado Natural de Uberaba, Guilherme de Oliveira Junior, mais conhecido como Menino Mestiço é tido como uma dos grandes letristas da região. Escrevendo desde 2007, suas letras fomentam reflexão, constroem diálogos e empodera aqueles que são invisibilizados pela sociedade. Atuante na cultura Hip-Hop desde 2011 através das batalhas de MCs, em 2015 conseguiu de forma independente distribuir sua primeira mixtape "Abençoado Seja o Que Acredita em Si Mesmo" , contendo as canções "Cantiga de Roda", "Queijo Minas" e "Negro Não Nego" música que ficou em terceiro lugar no Festival de Música autoral de Uberaba. No ano seguinte, se consolida como promessa na região com sua segunda mixtape "Abençoado Seja o Que Acredita e Vai à Luta" , com destaques para os sons "Sem Sinal de Vida", "Anos 2000" e "Gatilho da Revolução. O artista também é responsável por inúmeras atividades como apres

BATE-PAPO COM JOÃO CARLOS NOGUEIRA

Por: André Montandon João Carlos Paranhos Nogueira  é um dos grandes nomes do esporte uberabense. Seu currículo é inspirador, abrange prêmios de destaque do ano, participações e títulos em importantes competições do país. Fera na natação, no triatlo e na maratona aquática, João começou a praticar esporte bem cedo, aos seis anos de idade.  Nas piscinas, são vários pódios, destaque para os títulos no Circuito Brasil e Circuito Paraolímpico. Em 2011, iniciou no Paratriathlon, também conseguindo bons resultados, como a Copa Brasil de 2018. Em 2014, começou na maratona aquática, com diversos títulos na categoria PCD  e sempre estando entre os melhores também contra nadadores sem deficiência, na categoria master. Medalhas em eventos importantes como no Desafio Aquaman, no Circuito de Maratona Aquática do Estado de São Paulo, na Travessia dos Fortes e o Circuito Rei e Rainha do Mar. No ano passado, mais um feito marcante em sua carreira, foi campeão na 52ª edição da Maratona Aquátic