Pular para o conteúdo principal

Lei prevê direitos aos usuários de transporte coletivo

A lei federal 12.587, que instituiu a Política Nacional de Mobilidade Urbana, prevê mudanças nos diferentes modos de transporte, visando a mobilidade de pessoas e cargas no país. Segundo a lei, além de mobilidade urbana, determina direitos dos usuários do transporte coletivo. Dentre elas estão a obrigatoriedade de informações nos pontos de embarque e desembarque, sobre itinerários, horários, tarifas dos serviços. Alguns pontos já estão sendo cumpridos em Uberaba, já que nos pontos de ônibus painéis já dão estas informações.

As regras que definem as tarifas a serem cobradas também estão estipuladas. Em Uberaba, no próximo dia 5, acontece audiência pública para debater a tarifa do transporte público. De acordo com a nova política, os entes federativos poderão fazer uso de instrumentos de gestão como restrição e controle de acesso e circulação, permanente ou temporário, de veículos motorizados em locais e horários predeterminados. Em algumas cidades, como São Paulo, já utiliza o sistema de rodízio de automóveis na tentativa de amenizar os problemas de trânsito. A lei prevê também a aplicação de tributos para utilização da infraestrutura urbana, visando a desestimular o uso de “determinados modos e serviços de mobilidade”. Mas garante que os recursos obtidos por esse meio serão aplicados exclusivamente em infraestrutura urbana “destinada ao transporte público coletivo e ao transporte não motorizado”, e no financiamento do subsídio público da tarifa de transporte público.

Aos entes federativos caberá, segundo a lei, estipular padrões de emissão de poluentes para locais e horários determinados, bem como monitorar e controlar as emissões dos gases de efeito local e de efeito estufa, podendo, inclusive, restringir o acesso a vias com índices críticos de poluição. Poderão, ainda, dedicar espaço exclusivo nas vias públicas para os serviços de transporte público coletivo e para meios de transporte não motorizados, além de estabelecer políticas para estacionamentos públicos e privados.

No plano de governo do prefeito Paulo Piau estão previstas ações neste sentido, como a implantação de viadutos em pontos estratégicos da cidade, melhoria nos acessos e a infraestrutura das entradas na cidade e das comunidades rurais; melhoraria das condições gerais do trânsito e transporte a partir da implantação de novas rotas alternativas assegurando a melhoria da malha viária urbana, de forma a reduzir o fluxo de veículos na área central, incentivando inclusive minidistritos nos bairros e estudar as vias urbanas visando a implantação de ciclovias protegidas e adequando a legislação de exigência de ciclovias nos novos loteamentos. E são estes pontos que estão em estudos pela equipe da atual Administração municipal.

Fonte: www.jornaldeuberaba.com.br




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - MENINO MESTIÇO

Por: André Montandon e Verônica Furtado Natural de Uberaba, Guilherme de Oliveira Junior, mais conhecido como Menino Mestiço é tido como uma dos grandes letristas da região. Escrevendo desde 2007, suas letras fomentam reflexão, constroem diálogos e empodera aqueles que são invisibilizados pela sociedade. Atuante na cultura Hip-Hop desde 2011 através das batalhas de MCs, em 2015 conseguiu de forma independente distribuir sua primeira mixtape "Abençoado Seja o Que Acredita em Si Mesmo" , contendo as canções "Cantiga de Roda", "Queijo Minas" e "Negro Não Nego" música que ficou em terceiro lugar no Festival de Música autoral de Uberaba. No ano seguinte, se consolida como promessa na região com sua segunda mixtape "Abençoado Seja o Que Acredita e Vai à Luta" , com destaques para os sons "Sem Sinal de Vida", "Anos 2000" e "Gatilho da Revolução. O artista também é responsável por inúmeras atividades como apres

BATE-PAPO COM JOÃO CARLOS NOGUEIRA

Por: André Montandon João Carlos Paranhos Nogueira  é um dos grandes nomes do esporte uberabense. Seu currículo é inspirador, abrange prêmios de destaque do ano, participações e títulos em importantes competições do país. Fera na natação, no triatlo e na maratona aquática, João começou a praticar esporte bem cedo, aos seis anos de idade.  Nas piscinas, são vários pódios, destaque para os títulos no Circuito Brasil e Circuito Paraolímpico. Em 2011, iniciou no Paratriathlon, também conseguindo bons resultados, como a Copa Brasil de 2018. Em 2014, começou na maratona aquática, com diversos títulos na categoria PCD  e sempre estando entre os melhores também contra nadadores sem deficiência, na categoria master. Medalhas em eventos importantes como no Desafio Aquaman, no Circuito de Maratona Aquática do Estado de São Paulo, na Travessia dos Fortes e o Circuito Rei e Rainha do Mar. No ano passado, mais um feito marcante em sua carreira, foi campeão na 52ª edição da Maratona Aquátic