Pular para o conteúdo principal

Colorado perde e cai para a Terceirona

Dia 31 de março de 2013 entra para a história do Uberaba Sport Club como a fatídica data em que a equipe caiu para a Segunda Divisão do Campeonato Mineiro, divisão que corresponde à Terceirona. No domingo de Páscoa, não teve ressurreição, mas sim a morte do Colorado. Morte que, aliás, era esperada há algum tempo, diante da péssima campanha desde o início do Módulo II, com várias atuações melancólicas.

Neste domingo, pela nona rodada da primeira fase, o USC foi derrotado por 2 x 0 pela Patrocinense, na casa do adversário. O time grená chega aos 19 pontos, na liderança da Chave A, assegurando presença no quadrangular final. Já o clube alvirrubro permanece com apenas dois pontos e, faltando uma rodada para o fim da etapa classificatória, não tem mais chances de escapar do rebaixamento.

O Democrata de Sete Lagoas, “concorrente” do Uberaba na luta contra o decesso, foi derrotado em casa pelo Uberlândia, mas está livre. A ajuda do rival não adiantou nada para o Colorado. Com seis pontos, o Jacaré não pode mais ser superado pelo Zebu – os dois se enfrentam na última rodada, no próximo domingo, no Uberabão.

Mamoré e URT, com 16 pontos cada, e UEC, com 15, vão disputar a segunda vaga do grupo para a próxima fase. Na rodada decisiva, o Sapo recebe a Patrocinense; e Uberlândia e URT fazem jogo de seis pontos no Parque do Sabiá.

A queda – Mesmo com a boa atuação na rodada anterior, diante do Mamoré, o USC não teve a mesma formação. Estranhamente, o técnico Gilson Batata mudou a escalação, até voltando a adotar o esquema com três zagueiros.

A equipe de Patrocínio mandou no primeiro tempo e, mesmo tendo várias chances, encerrou a etapa ganhando só por 1 x 0. O gol saiu aos 8 minutos, depois de escanteio. O artilheiro Dalmo aproveitou o desvio e abriu o placar.

Na etapa final, o Uberaba até melhorou e teve boas oportunidades. Não fez. O time anfitrião também chegou. Fez. Aos 32, Cássio deu números finais ao jogo.

Em queda livre, o Zebu vai para a Terceirona na temporada seguinte ao rebaixamento para o Módulo II.

Em 2012, o Colorado foi o último tanto na divisão de elite do Estadual como na Taça Minas Gerais. Em 2013, o último lugar de novo é certo. Resta saber se o USC eventualmente conseguirá ganhar pelo menos na despedida - a equipe obteve uma vitória em cada competição no ano passado.

Números – O Uberaba tem a pior campanha entre as duas chaves do Módulo II, com a pior defesa e o pior ataque entre as onze equipes. Em nove jogos, são sete derrotas e dois empates, quatro gols marcados e 18 gols sofridos.
QUE BELEZA, AGORA NO PRÓXIMO ANO TEREMOS CLÁSSICO NAÇA E UBERABA NA 3ª DIVISÃO 








Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - MENINO MESTIÇO

Por: André Montandon e Verônica Furtado Natural de Uberaba, Guilherme de Oliveira Junior, mais conhecido como Menino Mestiço é tido como uma dos grandes letristas da região. Escrevendo desde 2007, suas letras fomentam reflexão, constroem diálogos e empodera aqueles que são invisibilizados pela sociedade. Atuante na cultura Hip-Hop desde 2011 através das batalhas de MCs, em 2015 conseguiu de forma independente distribuir sua primeira mixtape "Abençoado Seja o Que Acredita em Si Mesmo" , contendo as canções "Cantiga de Roda", "Queijo Minas" e "Negro Não Nego" música que ficou em terceiro lugar no Festival de Música autoral de Uberaba. No ano seguinte, se consolida como promessa na região com sua segunda mixtape "Abençoado Seja o Que Acredita e Vai à Luta" , com destaques para os sons "Sem Sinal de Vida", "Anos 2000" e "Gatilho da Revolução. O artista também é responsável por inúmeras atividades como apres

BATE-PAPO COM JOÃO CARLOS NOGUEIRA

Por: André Montandon João Carlos Paranhos Nogueira  é um dos grandes nomes do esporte uberabense. Seu currículo é inspirador, abrange prêmios de destaque do ano, participações e títulos em importantes competições do país. Fera na natação, no triatlo e na maratona aquática, João começou a praticar esporte bem cedo, aos seis anos de idade.  Nas piscinas, são vários pódios, destaque para os títulos no Circuito Brasil e Circuito Paraolímpico. Em 2011, iniciou no Paratriathlon, também conseguindo bons resultados, como a Copa Brasil de 2018. Em 2014, começou na maratona aquática, com diversos títulos na categoria PCD  e sempre estando entre os melhores também contra nadadores sem deficiência, na categoria master. Medalhas em eventos importantes como no Desafio Aquaman, no Circuito de Maratona Aquática do Estado de São Paulo, na Travessia dos Fortes e o Circuito Rei e Rainha do Mar. No ano passado, mais um feito marcante em sua carreira, foi campeão na 52ª edição da Maratona Aquátic