Pular para o conteúdo principal

Seguro Dpvat pode ser parcelado em até três vezes junto com Ipva

Proprietários de cerca de 180 mil veículos em Uberaba vão poder parcelar o Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres, o Dpvat, também conhecido como Seguro Obrigatório. É a primeira vez que o seguro poderá ser parcelado em Minas Gerais, que conta com mais 7 milhões de veículos. Para o delegado de Trânsito em Uberaba a medida deve ajudar a diminuir a inadimplência.

A partir de 2013, o pagamento do Dpvat poderá ser dividido em até três parcelas. Ainda nesta semana a Superintendência de Seguros Privados (Susep) vai divulgar a regulamentação do parcelamento. Atualmente, o seguro é pago em cota única junto com o vencimento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (Ipva) de cada Estado. Os estados poderão optar pelo pagamento do Seguro Obrigatório em parcela única ou em parcelas. Minas Gerais é um dos primeiros estados a parcelar o Seguro Obrigatório.


Para o delegado de Polícia Civil, responsável pela Delegacia de Trânsito em Uberaba, no cargo há pouco mais de um mês, Luiz Fernando de Paula Bernardes, “a medida pode diminuir a inadimplência, principalmente dos veículos de duas rodas devido o valor ser diferenciado, ou seja, mais alto do que dos demais”. Neste ano o Dpvat de motocicletas foi de R$279,27 e para 2013 será de R$286,75 um aumento de 2,6%. O valor do seguro da moto é maior que as demais categorias pelo fato de a maioria dos acidentes ser causada por este tipo de veículo.
O reajuste do valor do Seguro Obrigatório para os carros de passeios, táxis e carros de aluguel o percentual de reajuste é de 0,06%, ou seja, ficou em  R$101,16. Para caminhões e camionetes o valor a ser pago é de R$105,81 e ônibus e micro-ônibus é de R$390,84.

Números do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG) apontam para uma inadimplência no Seguro Obrigatório, em todo Estado, de aproximadamente 15%. Quem não paga o Dpvat, fica impedido de receber o documento de licenciamento e pode ter o carro apreendido, ser multado e ter pontos negativos na CNH.

Conforme consta no site da Susep, parte da arrecadação do Dpvat é usada para indenizar vítimas de acidentes de trânsito. No caso de morte, o beneficiário direto tem direito de receber R$13.500 de indenização. No caso de invalidez, a pessoa ferida em acidente pode receber até R$13.500. O cálculo é feito de acordo com o tipo de sequela causada pelo acidente, conforme laudo assinado por médico. A vítima de acidente de trânsito também tem direito ao chamado reembolso médico-hospitalar de até R$2.700,00. A indenização é paga em uma só vez.

Toda vítima de acidente de trânsito tem direito a indenização, independentemente de quem foi a culpa. Não é preciso apresentar laudo da perícia da Polícia Civil. Para receber o Dpvat não é preciso contratar advogado ou intermediário. Em Minas, os pedidos de pagamento podem ser apresentados nos Correios. O seguro é pago na conta do beneficiário em até 45 dias após a apresentação da documentação.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

BATE-PAPO COM JOÃO CARLOS NOGUEIRA

Por: André Montandon

João Carlos Paranhos Nogueira é um dos grandes nomes do esporte uberabense. Seu currículo é inspirador, abrange prêmios de destaque do ano, participações e títulos em importantes competições do país. Fera na natação, no triatlo e na maratona aquática, João começou a praticar esporte bem cedo, aos seis anos de idade. 
Nas piscinas, são vários pódios, destaque para os títulos no Circuito Brasil e Circuito Paraolímpico. Em 2011, iniciou no Paratriathlon, também conseguindo bons resultados, como a Copa Brasil de 2018. Em 2014, começou na maratona aquática, com diversos títulos na categoria PCD  e sempre estando entre os melhores também contra nadadores sem deficiência, na categoria master. Medalhas em eventos importantes como no Desafio Aquaman, no Circuito de Maratona Aquática do Estado de São Paulo, na Travessia dos Fortes e o Circuito Rei e Rainha do Mar. No ano passado, mais um feito marcante em sua carreira, foi campeão na 52ª edição da Maratona Aquática 14 Bis, …

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - RENATO CALANGO

Por: André Montandon O músico, compositor, poeta, interprete e produtor Renato Calango tem a música em seu DNA.Juntamente com outros talentosos artistas criaram o Movimento Calango. A intenção do Movimento e dos que o vivenciam, é criarem composições musicais em vários estilos diferentes, agregando a maior diversidade de sonoridade possível, buscando uma alta carga de liberdade criativa sem se desligarem das suas ecléticas preferências e influências musicais, culturais, artísticas e ideológicas.Tem a característica de ser uma proposta artístico-musical aberta, na tentativa de realizar as mais diversas parcerias com os mais diferentes tipos de artistas e pensadores, tanto para compor, quanto para produzir e se apresentar ao vivo.Não seguem nenhum estilo musical, mas caminham por vários deles, desde que seja uma proposta artística viável, de bom gosto, harmoniosa ou até mesmo quando estiver fora da “beleza” convencionalmente imposta. Tentam, na medida do possível, se despir de pré-concei…