Pular para o conteúdo principal

Eu fico triste, alegre, sem beber eu fico triste, bebendo fico alegre....

Uma equipe internacional de cientistas provou por meio de um estudo divulgado, que apesar de as pessoas se sentirem mais confiantes quando consomem bebidas alcoólicas, a melhora da percepção sobre si mesmo não é consequência das bebidas.


Foto: Reprodução internet
O estudo, intitulado ‘Beauty is in the eye of the beer holder’ (A beleza está no olho do que segura a cerveja), aborda o papel do álcool no grau de atração que cada pessoa atribui a si própria e para sua aplicação foi utilizado um grupo de pessoas em um laboratório e em um bar, segundo publicado pela Universidade Paris Descartes.
O estudo levantou duas hipóteses: o consumo melhoraria o grau de atração que cada pessoa confere a si própria, ou haveria respostas mais polarizadas que fizessem com que aqueles que se considerassem interessantes reforçassem essa crença, enquanto aqueles que não tivessem a mesma visão positiva se afundariam em seus defeitos.


Foto: Reprodução internet
Na primeira parte, feita com 19 pessoas em um bar, os participantes foram orientados a declarar o quão atraentes, brilhantes, originais e divertidos se consideravam, e ao aumentar a quantidade de álcool ingerida a opinião sobre eles próprios também melhorou.
Na segunda parte, realizada com 86 pessoas, foi entregue aleatoriamente aos voluntários bebidas que continham ou não álcool. Enquanto metade foi levada a acreditar que havia consumido bebidas alcoólicas, a outra metade pensava o contrário.
Esses últimos foram levados a crer que estavam degustando uma nova bebida de uma empresa falsa que ia ser lançada no mercado, e foi pedido que escrevessem uma mensagem publicitária que supostamente ia ser utilizada pela empresa para promover o produto.
Os participantes apresentaram posteriormente sua estratégia, em uma exposição gravada e analisada por um grupo independente 22 julgadores.
Os resultados, segundo os dados da Universidade Paris Descartes, mostraram que quem achava que tinha tomado álcool dava a si próprio as melhores notas.
A análise procedente dos juízes, que não sabiam quais participantes eram de cada grupo, constatou que a melhora registrada nas respectivas percepções não estava relacionada com sua verdadeira atuação.
Para os responsáveis do estudo, entre os quais está a Universidade de Ohio, estas conclusões confirmam que a crença de ter consumido álcool basta para que a mente atue como se o tivesse feito.
Estudos anteriores demonstravam que o consumo de álcool aumenta a atratividade que uma pessoa vê em outra do sexo oposto, mas com a pesquisa de agora foi provado que também faz com que melhore a opinião sobre si própria, uma visão que, segundo os autores, se limita à de quem bebe, e não é compartilhada pelos demais.
Fonte: EFE


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - MÁRCIO ANDRÉAS

Por: André Montandon
Com 20 anos de carreira, o músico e compositor uberabense Marcio Andréas, lançou em 2016 o seu primeiro trabalho solo "Cada um na sua galáxia". Foi vocalista dos Baltazares, banda de rock bastante conhecida no circuito independente de Minas Gerais. Em seu novo projeto lançado no final de 2019, intitulado de "O Jardim", o músico apresenta um som bastante original, com mais maturidade. As canções passeiam pelo rock, folk e mpb, mas tudo em perfeita sintonia mostrando uma profunda evolução alcançada em todos esses anos de estrada.
Com uma agenda bastante movimentada o músico se apresenta em vários formatos: shows mais intimistas, pocket shows, ou acompanhado de uma banda extremamente competente que vem arrancando elogios por onde passa, sendo considerado uma grande promessa da nova música mineira. Em seu currículo, o músico ostenta apresentações ao lado de grandes nomes do cenário nacional como: Pato Fu, Biquini Cavadão, Tico santa Cruz, Raimundos…

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - MARCELO JENECI

Por: André Montandon 
Desembarga em Uberaba nesse sábado (19), um dos grandes nomes da nova música popular brasileira para uma apresentação especial no Laboratório 96. Pela primeira vez na cidade, Marcelo Jeneci, chega com a turnê de lançamento do seu terceiro álbum, Guaia, onde o artista volta as suas origens ao homenagear Guaianases, zona leste de São Paulo, bairro em que nasceu. Além de trazer experimentos musicais que se juntam à famosa sanfona do cantor e compositor, em uma mescla de acústicos, sintéticos e regionais que resgatam a trajetória de Jeneci ao longo de sua formação musical.

Aproveitamos essa ilustre visita, para bater um papo exclusivo com esse grande artista. Confira 😉
- Conte-nos um pouco sobre o seu novo álbum, Guaia, que remete as suas origens, e que contou com grandes participações?

Marcelo Jeneci - Guaia, porque sou de guaianases, da zona leste de São Paulo. Porque eu cresci na escola pública, "Viva os professores!". Tendo uma família em que minha mãe m…