Pular para o conteúdo principal

Carteiros cruzam os braços em Uberaba e entrega de 35% das cartas estão atrasadas

Greve dos funcionários dos Correios em Uberaba foi deflagrada na última quarta-feira (21) por melhorias salariais. Poucos carteiros estão fazendo o serviço de entrega das correspondências na cidade, cerca de 40% dos trabalhadores aderiram ao movimento, sendo grande parte carteiros, 50 deles estão parados na cidade.
As principais reivindicações são aumento salarial de 7,16%, R$ 400 de reajuste linear a partir de janeiro de 2012 para todos os funcionários, R$ 30 de vale-alimentação, R$ 300 de vale-cesta e 24,76% das perdas salariais de 1994 a 2010.

Os Correios apresentaram duas propostas ao sindicato antes da paralisação. As duas foram rejeitadas e, sem apresentação de qualquer contraproposta por parte do sindicato houve a deflagração da greve.
A última proposta dos Correios, que foi reapresentada na quinta-feira, prevê reajuste de 6,87% (reposição da inflação do período – IPCA) no salário e nos benefícios; abono de R$ 800 e aumento linear de R$ 50 a partir de janeiro de 2012. Tal proposta representa reajuste de 13% para 60% dos trabalhadores dos Correios. Além disso, segundo a nota, a entrega de correspondências não foi suspensa em nenhum momento e continua ocorrendo, já que 81% do efetivo da empresa no país trabalham normalmente.

A população já está preocupada com a entrega das correspondências. Em Uberaba, os Correios estão remanejando os funcionários que não aderiram ao movimento. “Não existe carga parada nos Correios sendo que 65% das correspondências estão sendo entregues em dia – 35% seguem com atraso. Estão suspensos apenas três serviços: SEDEX 10, SEDEX Hoje e Disque Coleta, por se tratarem de serviços com hora marcada. Com a paralisação, mesmo parcial, não temos como garantir o horário”, afirma a empresa através de nota.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

BATE-PAPO COM O TENISTA JOÃO MENEZES

Por: André Montandon


Com apenas 22 anos, João Menezes já é um dos principais nomes do tênis brasileiro. Vivendo o seu melhor momento na carreira, o uberabense ocupa atualmente a 210º posição no ranking mundial da ATP (Associação de Tenistas Profissionais), sendo o terceiro melhor brasileiro. Apaixonado pelo esporte, o atleta contou com a influência e o apoio da família no desenvolvimento no tênis. Agora com a conquista da medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos, busca alcançar grandes títulos e chegar forte nas Olimpíadas de Tokio 2020.
Mas nem sempre foi assim. João passou por momentos difíceis nessa trajetória, pensando até em abandonar o esporte devido a resultados que não vinham e principalmente, pelas três cirurgias no joelho esquerdo e uma lesão na coluna. Mas, pelo apoio do pai, seu grande incentivador, ele retomou os treinamentos em busca dos seus sonhos. 
Confira o nosso bate-papo com esse grande atleta uberabense:
- João, quando começou o seu interesse pelo tênis; os primeir…

UMA BREVE HISTÓRIA DE UBERABA

O povoamento da região de Uberaba teve início, no final do século XVIII, com sesmarias concedidas pela Capitania de Goiás, entre elas, a Fazenda das Toldas, ainda existente, concedida a Tristão de Castro Guimarães, e as Fazendas Santo Inácio, Ponte Alta e Bebedouro, concedidas, em 1799, ao Tenente Joaquim da Silva e Oliveira, irmão do Sargento-Mor Antônio Eustáquio da Silva e Oliveira, todas estas fazendas situadas ao sul da atual Uberaba.

O povoado de Uberaba, foi fundada, em 1809, pelo sargento-mor comandante da Companhia de Ordenanças do Distrito do Julgado do Desemboque da Capitania de Goiás, Antônio Eustáquio da Silva e Oliveira.
A primeira casa de Uberaba, construída pelo Sargento-Mor Antônio Eustáquio, localizava-se na atual esquina da Praça Rui Barbosa com a Rua Artur Machado, do lado esquerdo de quem desce a rua Artur Machado.

Uberaba surgiu pela migração de familias que deixaram as já esgotadas regiões produtoras de ouro, porém fracas para agricultura, da Capitania d…