Pular para o conteúdo principal

DALE BRASIL!!!


Mesmo não tendo os mesmos investimentos como em edições anteriores e com apenas 486 atletas (a menor delegação desde 2003).  O brasil conquistou grandes resultados nessa edição dos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru. Com quebra do recorde de medalhas de ouro, 55 no total (três a mais que no Pan de 2007, no Rio de Janeiro); O maior numero de pódio na história, 171 no total (14 vezes a mais do que a marca anterior); Outro recorde interessante, foi o de número de modalidades que foram ao pódio,  41 no total (superando as 40 modalidades do Rio 2007). Encerrando a sua participação na 2ª colocação no quadro geral com 55 ouros, 45 pratas e 71 bronzes. Atrás apenas, dos Estados Unidos. Repetindo o feito ocorrido em 1963, no Pan de São Paulo. 




Destaques importantes:

- A Natação foi pela quarta vez seguida, o carro chefe do Brasil com 30 medalhas no total, sendo 10 de ouro. Uma dessas, conquistada pelo revezamento 4x100m livre masculino, com a marca de 3min12s61, novo recorde da competição. Mantendo a invencibilidade no torneio continental desde a edição de Winnipeg, em 1999. Quem também fez história foi Leonardo de Deus, com o tri-campeonato consecutivo nos 200m borboleta e Etiene Medeiros que com 4 medalhas nessa edição, se tornou a maior medalhista da natação do país na competição;

- Dobradinha inédita no Triatlo feminino com Luisa Baptista e Vittoria Lopes;

- O Tricampeonato de Fernando Reis no Levantamento de peso;

- O recorde de medalhas no Taekwondo, 7 no total, sendo 2 de ouros. Uma delas, conquistada por Milena Titoneli  (se tornando a primeira brasileira campeã Pan-americana);

- A melhor campanha da ginástica artística na história dos Jogos Pan-Americanos. O Brasil foi o país que mais conquistou medalhas nessa edição no esporte (4 ouros, 4 pratas e 3 bronzes). Tendo a primeira dobradinha no individual geral masculino;

- Campanha histórica do Badminton com 5 medalhas (1 ouro e 4 de bronze), destaque para Ygor Coelho, pela conquista da primeira medalha de ouro do Brasil nesse esporte;

- Na maratona aquática, medalha de ouro inédita da multicampeã mundial Ana Marcela;  Medalha de ouro inédita também no boxe feminino com Bia Ferreira e na patinação feminina com Bruan Wurts;

- Pódio inédito, no saltos ornamentais em duplas com o bronze de Issac Souza e Kawan Pereira;

- No Surfe, Lena Guimarães Ribeiro conquistou o primeiro ouro na modalidade SUP (Stand Up Paddle) Race, enquanto Vinnicius Martins, faturou a prata. Na categoria Longboard, Chloé Calmon - atual nº1 do mundo, confirmou o favoritismo e conquistou o Ouro para o Brasil. E Nicole Pacelli, conquistou o bronze no SUP Wave;

- No tênis, a conquista da medalha de ouro do uberabense João Menezes no simples (o país não conquistava desde o Pan de 2007) e o Bronze da Dupla Carol Meligeni e Luisa Stefani;

- O hexa-campeonato da Seleção Feminina de Handebol, que ostenta a incrível marca de 24 anos de invencibilidade nos Jogos Pan-Americanos. Hexa também na ginástica rítmica;

- A conquista do 4º título Pan-Americano da história da seleção brasileira de basquete feminino, após 28 anos. Derrotando as temidas americanas na final;

- No atletismo, Darlan Romani conquista a medalha de ouro e quebra o recorde pan-americano no lançamento de peso (22.07);

- No tênis de mesa, destaque para o bi-campeonato de Hugo Calderano;

- Histórica medalha de prata garantida no tiro com arco por Marcus Vinícius D'Almeida;

- Até no desconhecido Pelota Basca, na primeira participação do Brasil na modalidade, conquistamos medalha. O bronze de Felipe Otheguy;


Sem duvidas uma grande campanha!!! Resultado do trabalho, dedicação e amor desses atletas ao esporte; que muitas das vezes, precisam sair do país para ter uma preparação adequada ou se desdobrarem para superar todas as dificultadas e barreiras existem no desenvolvimento do esporte no Brasil. Isso de nada tira o mérito dos atletas. Mas, é claro e evidente que o esporte é um importante instrumento de transformação e desenvolvimento social. Devemos dar o devido valor que o esporte e a educação merece, ampliar o apoio aos atletas de alto rendimento e acima de tudo, criar oportunidades da formação de novos atletas. Para enfim, alcançarmos o tal "legado" prometido na realização do Pan Rio 2007, Copa 2014 e Olimpíadas Rio 2016.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - YSAAC & K.OLIVER

  Por: André Montandon Parceiros de longa data, Ysaac e K.Oliver seguem como eles mesmos dizem: "contrariando as estatísticas". Com muita luta, força, foco e fé, a dupla desenvolve o seu trabalho. E podemos dizer que já são referências em Uberaba e região. Além da carreira solo, eles participam de outros projetos ao lado de feras da cena local, com a Família BMX. Sempre em constante movimento, eles lançaram no mês de maio, o álbum que carrega em seu título o lema da dupla  "Contrariando as Estatísticas", produzido e gravado em São Paulo, conta com vídeo clipe em todas as faixas. Aproveitando o lançamento, batemos um papo com eles. Confira a seguir: - Para começar a nossa entrevista, gostaríamos de saber um pouco mais sobre o processo de produção/gravação do novo álbum? Ysaac/K.Oliver -  Salve família. Máximo Respeito. O processo de produção e gravação do nosso álbum ele veio com muita luta e muita história porque algumas músicas deste álbum duas ou três músicas eu

UBERABENSES SÃO CONVOCADOS PARA AS PARALÍMPIADAS DE TÓQUIO

  Ercileide da Silva , José Carlos Chagas e Poliana Sousa  da Associação dos Deficientes Físicos de Uberaba - Adefu, foram convocados  pelo Comitê Paralímpico Brasileiro - CPB  na tarde desta terça-feira (6), para os  Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020 . Ercileide e Zé Carlos competem pela classe BC4 e BC1  da bocha, respectivamente. Já Poliana pela classe F54 do lançamento de dardo. Foto:  @funel.uberaba Não poderíamos deixar de destaque também, a convocação da uberabense e ex-paratleta da Adefu, Raissa Rocha Machado . Que hoje integra a equipe do Instituto Elisângela Maria Adriano -  IEMA   , de São Caetano do Sul-SP. Raissa é atleta da classe F56 do lançamento de dardo. Foto:  @raissarochamachado Foram ao todo 253 convocados, maior delegação brasileira para uma edição dos Jogos fora do Brasil. O número só é superado pela participação nos Jogos Rio 2016, já que o Brasil garantiu vagas em todas as modalidades por ser país sede e contou 286 atletas no total. Os Jogos de Tokyo 2020, ser