Pular para o conteúdo principal

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - CARNE DOCE


Por: André Montandon e Verônica Furtado

Carne Doce. Foto de Rodrigo Gianesi
Fundada em Goiânia por Salma Jô e Macloys (Mac) em 2013, o Carne Doce é uma das mais importantes bandas do indie brasileiro. A ótima avaliação do primeiro disco autointitulado, que ocupou várias listas em 2014, foi ampliada em "Princesa", um dos mais elogiados lançamentos brasileiros de 2016.

Com apoio da Natura Musical, a banda formada por Salma Jô (voz), Macloys Aquino e João Victor Santana (guitarra), Anderson Maia (baixo) e Ricardo Machado (bateria). acabam de lançar seu terceiro disco, “Tônus”. E nós teremos a oportunidade de conferir esse novo trabalho, no dia 15 de setembro, no Laboratório 96.

Aproveitamos essa visita para bater um papo com o guitarrista Mac. Confira:

Como começou a ser desenhado o álbum Tônus e como foi o seu processo de produção?

Mac - O disco começou a ser concebido no final de 2017 pela necessidade de sucedermos o "Princesa", que ainda é um disco que caminha, ainda é "descoberto", mas que já não era capaz de manter nossa agenda em 2018. Percebemos isso e começamos a desenhar o "Tônus". O processo de produção começou ali, mais propriamente em janeiro/fevereiro de 2018, quando João começou a nos gravar em casa para a pré-produção. Esse processo de pré foi adiantado e, quando entramos no estúdio, tínhamos noção clara de como iriam soar as faixas. 

Depois do grande sucesso dos álbuns "Carne Doce e Princesa", como está a recepção desse novo trabalho pelo público?

Mac - Obrigado pelo "grande sucesso". Temos uma visão fatiada disso, somos uma banda de nicho. Mas realmente, "Princesa" nos deu muita visibilidade, principalmente pela leitura política do disco, e por esse motivo desenhamos uma expectativa de recepção mais lenta do "Tônus", que é um disco mais introspectivo. Surpreendentemente, essa expectativa não se confirmou, o "Tônus" está batendo rápido nas pessoas. Nesses menos de dez shows de lançamento que fizemos, em cidades diferentes, as pessoas estão cantando as músicas novas, se envolvendo com elas, e isso é muito bom.  

Quais faixas são as preferidas da banda?

Mac - Difícil dizer. Pra mim, 'Irmãs', 'Já Passou' e 'Golpista', por motivos bem diferentes.




Goiana é referencia na cena independente do país com grande nomes e festivais renomados. Quais projetos que estão surgido que vocês podem indicar pra gente?

Mac - Cambriana (que na verdade já surgiu há muito tempo), Bruna Mendez, Chá de Gim... 

Manda um recado pra galera de Uberaba que está ansiosa com essa apresentação do Carne Doce?

Mac - Foi sempre bom tocar em Uberaba principalmente por causa do trabalho da Letícia e da Bruna, do Lab 96, que é um trabalho de formação de platéia, de compartilhamento de cultura. Elas são ótimas, a casa delas é ótima e é incrível tê-las na cidade. Se houvesse mais iniciativas com as delas em mais cidades médias brasileiras, certamente o nosso mercado estaria muito melhor estruturado.


Mais informações do show em: https://www.facebook.com/events/369124143620368/

Curtiu a entrevista? Quer saber mais sobre a Carne Doce?  Acesse:







Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - INSURGÊNCIA SERTANEJA

Por: André Montandon e Verônica Furtado
Formada por Jéssica Carvalho (violão e voz), João Chiaratti (percussão, viola e voz), Karine Rodrigues (violino e voz), Maycol Mundoca (alfaia e voz) e Pedro Calota (percussão, violão e voz), a Insurgência Sertaneja é uma banda de música autoral uberabense, que trabalha os diversos ritmos melódicos e poéticos do sertão. Em uma mistura de música e poesia, a banda faz releituras de ritmos essencialmente brasileiros, fazendo uma viagem aos sertões através de ritmos como o baião, o carimbó, o congado, a moda de viola e o cordel em busca de desmistificar o sertanejo. 
Mesmo com pouco tempo de carreira, a Insurgência Sertaneja já levou a sua arte para diversas cidades do país, em festivais e eventos, dividindo palco com grandes nomes da musica brasileira.  Além do lançamento do álbum de estreia, "Meu sotaque, minha sina", em 2017.  Agora, o "bando" (como eles mesmos denominam),  prepara um super show cheio de novidades, no dia 18 …

FIQUE LIGADO NA AGENDA CULTURAL