Pular para o conteúdo principal

BRASIL SOFRE, MAS SUPERA MURALHA POLONESA


A seleção entrou em quadra com a torcida confiante em uma jogo tranquilo e de vários gols. Mas, a realizada foi bem diferente e o brasil suou a camisa para conquistar a vitória de 3 a 1 sobre a forte seleção da polônia.

Comemoração do gol do Pivô Rocha. Fotos: Ricardo Artifon/CBFS
O JOGO:

1º Tempo - A partida começou bem equilibrada e um personagem foi fundamental para isso, o grande goleiro Polonês, que praticamente fechou a meta realizados diversas defesas. Aos 7 minutos do primeiro tempo, Renatinho carregou a bola e arriscou de longe para a bela defesa do goleiro adversário. A Polônia levou perigo ao gol brasileiro em boa troca de passes, mas o experiente goleiro Guitta praticou uma grande defesa e no rebote a Polônia carimbou a trave. Em cobrança de falta  ensaiada da Polônia, Guitta fechou o gol mais uma vez. No contra ataque, Renatinho esperdiçou uma change de abrir o placar ao tentar driblar o goleiro. Mas, o Pivô Rocha (convocado na vaga do craque Falção) chamou a responsa e abriu o placar em um chute cruzado, levantando a galera no ginásio. A seleção ainda teve mais uma oportunidade que foi evitada pela ponta dos dedos do goleiro europeu.

2º Tempo - Logo na volta do intervalo, o ala Polonês lançou um "foguete" que explodiu na trave. Na sequencia só deu Brasil, com Rodrigo ao 4 minutos, arriscando de longe; depois Douglas e Felipe aos 6min30s, e Bateria em bela jogada individual tentaram ampliar o placar, sendo bloqueados pela muralha adversária. Em seguida, um SUSTO, chute cruzado da polônia, Rodrigo tenta cortar e a bola acaba encobrindo Guitta e vai para fundo do gol - 1 a 1. O gol animou os europeus que vieram pra cima. Mas Rodrigo, não quis estragar a noite e com um belo chute de fora da área, desempatou  partida. A POLÔNIA FOI PARA O TUDO OU NADA - colocou o goleiro linha - ficou vulnerável - e em uma interceptação de bola, Gleidson, fechou o placar com um belo gol do campo de defesa, levando a torcida ao delírio.

No final da partida, batemos um papo com o Pivô Rocha e o Ala Leandro Lino. Confira:




As duas seleções voltam a se enfrentar nesse domingo às 10h no Centro Olímpico de Uberaba. E você não pode ficar de fora. Compareça e ajude a seleção conquistar mais uma vitória.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ATLETAS DA ADEFU CONQUISTAM ÓTIMOS RESULTADOS NO BRASILEIRO DE BOCHA

Realizado no Centro de Treinamento Paralímpico em São Paulo, entre os dias 14 a 17 de novembro, o Campeonato Brasileiro de Bocha reuniu os melhores paratletas das classes BC1, BC2, BC3 e BC4 do país, para a disputa por equipes, pares e individual. Representando a Região Centro-oeste, Ercileide Laurinda da Silva, José Carlos Chagas, Leonardo Silva Carone e Mariana Ramos da Silva da ADEFU/Uberaba, obtiveram grandes resultados.
Zé Carlos e Mariana Ramos foramvice-campeões na disputa por equipes classe BC1/BC2, ao lado de André Luiz Barroso (ADD/MS), Cristiano Pereira Silva (APARU/MG) e Eduardo Vasconcelos (CETEFE-DF). Medalha de prata conquistada também pelo Zé Carlos na categoria individual.

Já na classe BC4,  Ercileide(Campeã regional Centro-oeste) e Leo Caroni conquistaram ao lado de Pedro Henrique Silva (APARU/MG), a medalha de bronze na disputada em pares. Pódio repetido também pelos uberabenses na categoria individual, Ercileide ficando com a Prata e Leo com o bronze.

Mais um grand…

BATE-PAPO COM O TENISTA JOÃO MENEZES

Por: André Montandon


Com apenas 22 anos, João Menezes já é um dos principais nomes do tênis brasileiro. Vivendo o seu melhor momento na carreira, o uberabense ocupa atualmente a 210º posição no ranking mundial da ATP (Associação de Tenistas Profissionais), sendo o terceiro melhor brasileiro. Apaixonado pelo esporte, o atleta contou com a influência e o apoio da família no desenvolvimento no tênis. Agora com a conquista da medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos, busca alcançar grandes títulos e chegar forte nas Olimpíadas de Tokio 2020.
Mas nem sempre foi assim. João passou por momentos difíceis nessa trajetória, pensando até em abandonar o esporte devido a resultados que não vinham e principalmente, pelas três cirurgias no joelho esquerdo e uma lesão na coluna. Mas, pelo apoio do pai, seu grande incentivador, ele retomou os treinamentos em busca dos seus sonhos. 
Confira o nosso bate-papo com esse grande atleta uberabense:
- João, quando começou o seu interesse pelo tênis; os primeir…