Pular para o conteúdo principal

BRASIL SOFRE, MAS SUPERA MURALHA POLONESA


A seleção entrou em quadra com a torcida confiante em uma jogo tranquilo e de vários gols. Mas, a realizada foi bem diferente e o brasil suou a camisa para conquistar a vitória de 3 a 1 sobre a forte seleção da polônia.

Comemoração do gol do Pivô Rocha. Fotos: Ricardo Artifon/CBFS
O JOGO:

1º Tempo - A partida começou bem equilibrada e um personagem foi fundamental para isso, o grande goleiro Polonês, que praticamente fechou a meta realizados diversas defesas. Aos 7 minutos do primeiro tempo, Renatinho carregou a bola e arriscou de longe para a bela defesa do goleiro adversário. A Polônia levou perigo ao gol brasileiro em boa troca de passes, mas o experiente goleiro Guitta praticou uma grande defesa e no rebote a Polônia carimbou a trave. Em cobrança de falta  ensaiada da Polônia, Guitta fechou o gol mais uma vez. No contra ataque, Renatinho esperdiçou uma change de abrir o placar ao tentar driblar o goleiro. Mas, o Pivô Rocha (convocado na vaga do craque Falção) chamou a responsa e abriu o placar em um chute cruzado, levantando a galera no ginásio. A seleção ainda teve mais uma oportunidade que foi evitada pela ponta dos dedos do goleiro europeu.

2º Tempo - Logo na volta do intervalo, o ala Polonês lançou um "foguete" que explodiu na trave. Na sequencia só deu Brasil, com Rodrigo ao 4 minutos, arriscando de longe; depois Douglas e Felipe aos 6min30s, e Bateria em bela jogada individual tentaram ampliar o placar, sendo bloqueados pela muralha adversária. Em seguida, um SUSTO, chute cruzado da polônia, Rodrigo tenta cortar e a bola acaba encobrindo Guitta e vai para fundo do gol - 1 a 1. O gol animou os europeus que vieram pra cima. Mas Rodrigo, não quis estragar a noite e com um belo chute de fora da área, desempatou  partida. A POLÔNIA FOI PARA O TUDO OU NADA - colocou o goleiro linha - ficou vulnerável - e em uma interceptação de bola, Gleidson, fechou o placar com um belo gol do campo de defesa, levando a torcida ao delírio.

No final da partida, batemos um papo com o Pivô Rocha e o Ala Leandro Lino. Confira:




As duas seleções voltam a se enfrentar nesse domingo às 10h no Centro Olímpico de Uberaba. E você não pode ficar de fora. Compareça e ajude a seleção conquistar mais uma vitória.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

BATE-PAPO COM JOÃO CARLOS NOGUEIRA

Por: André Montandon

João Carlos Paranhos Nogueira é um dos grandes nomes do esporte uberabense. Seu currículo é inspirador, abrange prêmios de destaque do ano, participações e títulos em importantes competições do país. Fera na natação, no triatlo e na maratona aquática, João começou a praticar esporte bem cedo, aos seis anos de idade. 
Nas piscinas, são vários pódios, destaque para os títulos no Circuito Brasil e Circuito Paraolímpico. Em 2011, iniciou no Paratriathlon, também conseguindo bons resultados, como a Copa Brasil de 2018. Em 2014, começou na maratona aquática, com diversos títulos na categoria PCD  e sempre estando entre os melhores também contra nadadores sem deficiência, na categoria master. Medalhas em eventos importantes como no Desafio Aquaman, no Circuito de Maratona Aquática do Estado de São Paulo, na Travessia dos Fortes e o Circuito Rei e Rainha do Mar. No ano passado, mais um feito marcante em sua carreira, foi campeão na 52ª edição da Maratona Aquática 14 Bis, …

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - RENATO CALANGO

Por: André Montandon O músico, compositor, poeta, interprete e produtor Renato Calango tem a música em seu DNA.Juntamente com outros talentosos artistas criaram o Movimento Calango. A intenção do Movimento e dos que o vivenciam, é criarem composições musicais em vários estilos diferentes, agregando a maior diversidade de sonoridade possível, buscando uma alta carga de liberdade criativa sem se desligarem das suas ecléticas preferências e influências musicais, culturais, artísticas e ideológicas.Tem a característica de ser uma proposta artístico-musical aberta, na tentativa de realizar as mais diversas parcerias com os mais diferentes tipos de artistas e pensadores, tanto para compor, quanto para produzir e se apresentar ao vivo.Não seguem nenhum estilo musical, mas caminham por vários deles, desde que seja uma proposta artística viável, de bom gosto, harmoniosa ou até mesmo quando estiver fora da “beleza” convencionalmente imposta. Tentam, na medida do possível, se despir de pré-concei…