Pular para o conteúdo principal

ARTISTA TRANSFORMA CHICLETES JOGADOS NO CHÃO EM OBRAS DE ARTE


O inglês Ben Wilson  já transformou mais de 10 mil chicletes jogados no chão em obras de arte por toda a Europa. Isso mesmo, aquele incomoda goma de mascar jogada por pessoas mal-educadas que acabam muitas vezes grudados em nossos sapatos, viraram obras de arte nas mãos de Ben.

As pinturas com chiclete começaram em 1998, mas só em 2004 ele resolveu trabalhar com isso em tempo integral. Antes disso o artista pintava em cima de outdoors e anúncios, mas teve problemas com a lei. Com o uso do chiclete, Ben não precisa da permissão de ninguém para realizar a sua arte.

Ben Wilson durante pinturas na ponte Millennium, em Londres, na terça-feira (28). (Foto: Finbarr O'Reilly/Reuters)
Foto: Finbarr O'Reilly/Reuters

Para realizar esse trabalho, Ben escolhe um chiclete velho e o derrete com um maçarico para endurecer a superfície. Depois cobre com uma camada de esmalte acrílico, deixando o chiclete velho pronto para virar uma obra de arte. A Ponte do Milênio em Londres, é o seu lugar favorito e os temas das pinturas são variados - de paisagens a mensagens de amor. Ben também busca inspiração na conversa com as pessoas que passam pelo local.  As suas obras podem levar de duas horas a três dias para serem concluídas. Alguns desses trabalhos, ele leva para guardar em casa.

Esses trabalho proporcionou um grande reconhecimento e novas oportunidades. Confira a seguir, algumas de suas obras:

Ben Wilson pintou nos últimos sete obras arte em miniatura em chicletes mascados em várias partes de Londres, na Inglaterra, e da Europa. (Foto: Finbarr O'Reilly/Reuters)
Foto: Finbarr O'Reilly/Reuters
Foto: Reprodução da Internet





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

BATE-PAPO COM O TENISTA JOÃO MENEZES

Por: André Montandon


Com apenas 22 anos, João Menezes já é um dos principais nomes do tênis brasileiro. Vivendo o seu melhor momento na carreira, o uberabense ocupa atualmente a 210º posição no ranking mundial da ATP (Associação de Tenistas Profissionais), sendo o terceiro melhor brasileiro. Apaixonado pelo esporte, o atleta contou com a influência e o apoio da família no desenvolvimento no tênis. Agora com a conquista da medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos, busca alcançar grandes títulos e chegar forte nas Olimpíadas de Tokio 2020.
Mas nem sempre foi assim. João passou por momentos difíceis nessa trajetória, pensando até em abandonar o esporte devido a resultados que não vinham e principalmente, pelas três cirurgias no joelho esquerdo e uma lesão na coluna. Mas, pelo apoio do pai, seu grande incentivador, ele retomou os treinamentos em busca dos seus sonhos. 
Confira o nosso bate-papo com esse grande atleta uberabense:
- João, quando começou o seu interesse pelo tênis; os primeir…

FIQUE LIGADO NA AGENDA CULTURAL