Pular para o conteúdo principal

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - CRIOLO


Por: André Montandon

Criolo. Foto: Reprodução internet

Kleber Cavalcante Gomes, mais conhecido como Criolo, é sem duvida, um dos artistas mais interessantes e influentes da música popular brasileira dos últimos anos. Em atividade desde 89, o paulistano começou a ganhar notoriedade em 2006, com o lançamento do seu primeiro disco de estúdio "Ainda Há Tempo". Mas, foi com o álbum "Nó na Orelha" (2011), que o artista conquistou o Brasil e Mundo. Dividindo palco com grandes nomes e conquistando diversos prêmios. É também, fundador da Rinha dos MC’s juntamento com o seu parceiro DJ DanDan, um dos projetos mais autênticos e tradicionais do hip hop Brasileiro.

Aproveitamos a sua passagem por Uberlândia, no Festival Timbre, para realizar essa entrevista. Confira:


Zebunarede: Comparando o titulo do seu álbum "convoque seu buda" ao atual momento politico/social brasileiro, devemos convocar nossos "deuses" para enfrentar essa crise?

Criolo: É o desejo de procurar equilíbrio para não deixar perder as forças positivas, intuitivas e de raciocínio. Para passarmos por estes tempos difíceis. 


Zebunarede: A cultura tem um papel transformador dessa realidade?

Criolo: Bom, a cultura e essa construção de pensamento e ação, tudo junto ou uma coisa de cada vez que se faz presente nesse nosso dia a dia.  A intenção de cada um é que faz a diferença.  Se uns acham que sim, então sim. Se a construção é de NÃOS, aí é lembrar que tudo deixa um legado e, que a reverberação de nossa existência vai além de nosso egoísmo.


Zebunarede: O relançamento do "Ainda da tempo" comemora os 10 anos desse álbum. E o que mudou em você de lá para cá?

Criolo: Com a idade percebemos o quanto ainda temos a aprender e a lutar, não apenas com as coisas erradas do mundo, mas também com coisas erradas em nós.



Zebunarede: Antes, havia um pré-conceito com o RAP por ser um som da periferia e muitas vezes associavam com a criminalidade. O que você acha que  provocou essa mudança?

Criolo: Ouve mudança?? Uns serem aceitos não significa que todos foram. O rap é uma energia total muito forte e positiva, o olhar se constrói num tanto desse todo e desse nosso que nunca para em nossas mãos,  muitas barreiras de pré conceitos ao de cair.


Criolo no Festival Timbre 2016. Foto: Felipe Flores | BurnAsh


Zebunarede: Como foi participar do Festival Timbre de Uberlândia que busca a integração da arte independente, a valorização da produção musical e a resistência cultural?

Criolo: Plural e singelo. Gratidão por participar.







Zebunarede: Para finalizar, manda uma recado para galera de Uberaba. Esperamos ver você aqui em nossa cidade. 

Criolo: Um abraço a todos e, que todos os sonhos se realizem!


Agradecemos a Equipe Oloko Records e Perfexx pela atenção e principalmente ao Criolo pela participação. Sucesso mano!!

Quer saber mais sobre o seu trabalho? Acesse: http://www.criolo.net/aindahatempo/


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - YSAAC & K.OLIVER

  Por: André Montandon Parceiros de longa data, Ysaac e K.Oliver seguem como eles mesmos dizem: "contrariando as estatísticas". Com muita luta, força, foco e fé, a dupla desenvolve o seu trabalho. E podemos dizer que já são referências em Uberaba e região. Além da carreira solo, eles participam de outros projetos ao lado de feras da cena local, com a Família BMX. Sempre em constante movimento, eles lançaram no mês de maio, o álbum que carrega em seu título o lema da dupla  "Contrariando as Estatísticas", produzido e gravado em São Paulo, conta com vídeo clipe em todas as faixas. Aproveitando o lançamento, batemos um papo com eles. Confira a seguir: - Para começar a nossa entrevista, gostaríamos de saber um pouco mais sobre o processo de produção/gravação do novo álbum? Ysaac/K.Oliver -  Salve família. Máximo Respeito. O processo de produção e gravação do nosso álbum ele veio com muita luta e muita história porque algumas músicas deste álbum duas ou três músicas eu

UBERABENSES SÃO CONVOCADOS PARA AS PARALÍMPIADAS DE TÓQUIO

  Ercileide da Silva , José Carlos Chagas e Poliana Sousa  da Associação dos Deficientes Físicos de Uberaba - Adefu, foram convocados  pelo Comitê Paralímpico Brasileiro - CPB  na tarde desta terça-feira (6), para os  Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020 . Ercileide e Zé Carlos competem pela classe BC4 e BC1  da bocha, respectivamente. Já Poliana pela classe F54 do lançamento de dardo. Foto:  @funel.uberaba Não poderíamos deixar de destaque também, a convocação da uberabense e ex-paratleta da Adefu, Raissa Rocha Machado . Que hoje integra a equipe do Instituto Elisângela Maria Adriano -  IEMA   , de São Caetano do Sul-SP. Raissa é atleta da classe F56 do lançamento de dardo. Foto:  @raissarochamachado Foram ao todo 253 convocados, maior delegação brasileira para uma edição dos Jogos fora do Brasil. O número só é superado pela participação nos Jogos Rio 2016, já que o Brasil garantiu vagas em todas as modalidades por ser país sede e contou 286 atletas no total. Os Jogos de Tokyo 2020, ser