Pular para o conteúdo principal

NOVAS TENDÊNCIAS - BANDAS - PARTE II

No segundo dia do Novas Tendências, se apresentaram:

Canastra: Na estrada desde 2000, o sexteto carioca liderado pelo guitarrista e vocalista Renato Martins (Acabou La Tequila), chega com a combinação irresistível de Jazz, Dixieland, Western, Surf Music e Rockabilly, com músicas que falam sobre amor e situações cotidianas. Lançaram seu primeiro disco em 2004, intitulado “Traz A Pessoa Amada Em Três Dias”, ganhando reconhecimento e notoriedade no cenário musical brasileiro, enfim consolidando a qualidade sonora com o disco “Chega De Falsa Promessas”, de 2007. Em julho de 2013, lançaram seu terceiro álbum, “Confie Em Mim”, com produção Charles Gavin (ex-Titãs), já estreando com participação em “A Grande Família”, da Rede Globo. A banda propõe um show enérgico, com batidas swingadas, unindo uma proposta “clássica” a uma sonoridade moderna. 




Alohatomic:  A banda paulistana formada por músicos que se conheceram em Brasília, a Alohatomic mistura hardcore e punk rock com os embalos da surf music e uma dose boa de ficção científica e filmes de terror. O resultado é um frankstein pogador de camisa florida, que pode ser melhor conferido no recém-lançado EP "The Greatest Hits of Alohatomic, Vol. 2: Aloha Rises". A banda, que traz o apresentador do Multishow Guilherme Guedes na bateria, não se importa muito com o fato das canções serem, em sua maioria, em inglês.



Uganga:  Fundada em 1993, a banda faz parte da rica história do Rock pesado de Minas Gerais. Diretamente influenciado por Thrash Metal e Hardcore, o UGANGA somou à essa fusão algumas passagens mais atmosféricas inspiradas no Dub e uma dose extra de groove. Nas letras, reflexões acerca do respeito à mãe natureza, livre arbítrio, dilemas cotidianos e autoconhecimento. Realizaram constantes giros pelo Brasil tocando ao lado de artistas de estilos variados e participaram de vários importantes festivais de música independente como o Udi Rock, Jambolada, Novas Tendências, Calango, Vaca Amarela e Tattoo Rock Fest. 

Em sua trajetória até aqui, já participaram de várias coletâneas e lançaram três demos e três CD’s oficiais: Atitude Lótus de 2003, Na Trilha do Homem de Bem de 2006  e o mais recente trabalho o  “Caos Carma Conceito”, também foi lançado na Europa que abriu as portas para que o UGANGA fizesse sua primeira turnê internacional em 2010.



Galanga:  O grupo segue a tradição do rock progressivo, mas acrescenta a malícia e a irreverência do samba, além dos elementos festivos e brincalhões do Zé Pereira e o batuque do Maracatu. O grupo de Ouro Preto, é a prova de que no universo do rock cabe toda a criatividade humana. A banda tinha, originalmente, o objetivo de dialogar com as raízes da cultura negra, mas abandonou os temas regionais ligados à negritude e criou um novo estilo de música, o Rock Afrogressivo, uma mistura de elementos do rock progressivo com estruturas rítmicas e melódicas da cultura brasileira.

 


Corine: Formada em Araguari, a banda e composta por Eddie Shumway (Guitarra), Lucas Torres (Voz/Guitarra) e Luiz Gustavo Amorim (Baixo) e Murcego Gonzalez (bateria) gravou seu primeiro single graças à participação especial de Manu “Joker” Henriques (Uganga) que não recusou o convite para gravar a bateria do single “I CAN NO LONGER BE HERE”.

Em 2013 a banda lançou o videoclip de “I CAN NO LONGER BE HERE”. Com essa formação, a banda fez o seu primeiro show, gravou e lançou mais duas músicas, “HAVE ALL I NEED” e “WHILE I’M ALIVE”. Desde então, a banda já fez shows ao lado de Black Drawing Chalks, Uganga, Los Viejos (México), Hellbenders, Muñoz, Canábicos e Overfuzz. 



  NÃO PERCA, O MAIOR FESTIVAL DE MÚSICA INDEPENDENTE DE UBERABA






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ESQUADRÃO UBERABENSE EM TÓQUIO: RAISSA MACHADO

Neste quinto e último episódio da série sobre os nossos representantes nos  Jogos de Tóquio 2020 ,  apresentamos um pouco sobre a trajetória do fenômeno  Raissa Machado . Foto: Gui Christ/CPB Incentivada pela mãe, aos 11 anos, começou a fazer ginástica e balé no Centro Municipal de Educação Avançada em Uberaba. A pós um teste na  ADEFU -  Associação dos Deficientes Físicos de Uberaba, i niciou no paradesporto  e logo se destacou. C onquistando no início da carreira, pódio em diversas modalidades: lançamento de dardo, lançamento de disco e  corrida. Mas foi com o Dardo, que se tornou  referência  mundial. Dona de várias medalhas nas disputas por clube e pela Seleção em competições nacionais e internacionais na classe F56. Em 2014 no Chile, foi medalha de bronze no Sul-Americano. No ano seguinte, conquistou o bronze no Parapan de Toronto, e a prata no Mundial de Atletismo em Doha, no Catar. Aos 20 anos, chegou a tão sonhada Paralimpíada,  na edição Rio 2016 , mas o resultado não foi o qu

COPA TRIÂNGULO REUNIU GRANDES ATLETAS EM UBERABA

  Realizada no  último domingo (29), em Peirópolis, a  Copa Triângulo Mineiro MTB ,  reuniu mais de 400  atletas,  marcando o retorno das grandes competições em Uberaba, suspensas devido a pandemia do Covid-19. Promovida pela RR Eventos, com apoio da Funel, o  evento que é uma das maiores provas de Mountain Bike do Triângulo Mineiro, contou com disputas em percurso completo de 47 km, nas categorias Masculina e Feminina Elite, Júnior, Sub 23 ao Sub 55 e Dupla Maculina. Já no percurso reduzido com 34 km, nas categorias Juvenil, Over 55, Dupla Mista, Turismo Masculino e Feminina e Peso Pesado. Confira a seguir o pódio da categoria elite: - Masculino : 1º - Nicolas Rafhael Machado (Trinx Brasil Racing Team); 2º - Frederico N. Mariano (Sodbike/Lelin Bikes/Vinculo Imoveis); 3º - Pedro Hillo De Almeida Bertallo (Sodbike/Sabia Digital/Aroeira/Phteam/Racer); 4º - Raphael Mesquita Mendes (Jc Bikes); 5º - Jeovane Junior de Oliveira (Ivan Start Ciclobikeshop);     Foto: Reprodução da internet - F