Pular para o conteúdo principal

Naça perde mais uma e fica para ultima rodada a decisão em casa

O Nacional perdeu a segunda partida seguida na Terceirona do Mineiro. Na tarde deste sábado, pela nona rodada, a penúltima da primeira fase, a agremiação uberabense foi derrotada por 2 x 1 pela Unitri, no mesmo Parque do Sabiá onde tinha perdido a invencibilidade na terça-feira.

No jogo que marcou a estreia do treinador Jordan, o Naça foi regular no primeiro tempo e se acovardou na segunda etapa, sofrendo o castigo no fim. A torcida, antes compreensiva, saiu irritada.

Com esse revés, o Alvinegro da Rodovia estaciona nos 11 pontos, tendo que decidir seu futuro na competição na última rodada, quando enfrenta o Jacutinga em duelo de vida ou morte no Uberabão, no próximo sábado.


O jogo – A verdade é que a arbitragem deu uma, ou melhor, duas mãos para o Naça. No começo do jogo, o juizão ignorou dois pênaltis a favor da Desportiva.

O Elefante tentou o gol no toque de bola. Primeiro com Paulinho Jaú, na tabela com Leandro Diniz. Depois, com Jonathan Reis, de fora da área, após triangulação.

O time uberlandense também atacou. Mas Thiago Pereira, de cabeça, e Juliano, com o pé, desperdiçaram ótimas chances.

No final do primeiro tempo, cruzamento de Pelezinho, o goleiro Fernando não achou nada, mas Paulinho Jaú também errou e mandou pra fora. Na última chance da etapa, Juliano recebeu e bateu bem, mas Glaysson, de mão trocada, salvou com uma defesa que valeu o ingresso.

Os gols ficaram para o segundo tempo. Chitão quase fez no cruzamento de Leandro Diniz, mas não acertou a cabeçada.

Não foi o que aconteceu do outro lado. Na falta batida na intermediária, levantamento frontal na área, um desvio e a bola caiu bem onde estava Thiago Pereira, que fuzilou Glaysson: 1 x 0.

O empate veio na jogada seguinte. Jonathan Reis sofreu pênalti, que ele mesmo bateu, com chute no alto, e converteu.

Com a zaga tendo dificuldades, o goleirão Glaysson teve que se virar e apareceu bem. E ainda contou com a sorte. No cruzamento rasteiro pela direita, Rudson tocou caindo, acertando o travessão.

Depois do gol do empate, a equipe visitante sumiu em campo. E a Unitri foi pro tudo ou nada, já que o empate não servia. O negócio era mandar a bola na área pra ver o que dava.
O Nacional só teve mais uma boa chance, com Serginho dividindo depois da ajeitada de Jonathan Reis. Com a saída de Chitão, a bola não parava na frente.

Lá atrás, sufoco total. No apagar das luzes, mais um balão, e a história se repetiu: de novo Thiago Pereira aproveitou, dando números finais ao jogo.

Escalação - O Nacional formou com: Glaysson; Pelezinho, Alex, Arthur, Assis; Balduíno, Paulinho, Leandro Diniz (Uander), Michel Cury (Jonathan Andrade); Chitão (Serginho) e Jonathan Reis.


Os pontos
Das cinco equipes da Chave A, três avançam para o hexagonal final.

O Portal venceu o Jacutinga por 1 x 0, e somou 16 pontos, em primeiro lugar, garantindo sua classificação. O líder folga na última rodada.

O Jacutinga, com 13 pontos, no segundo posto, precisa de um empate para se classificar.

O Nacional parou nos 11 pontos, ainda na terceira colocação, e precisa ganhar de qualquer jeito - prevendo que a Unitri, também com 11, deve chegar aos 14, com a provável vitória contra a zerada Santarritense.






 
FONTE: WWW.JORNALREPLAY.NET


NÓS ACREDITAMOS, NO SÁBADO A TORCIDA VAI ESTAR EM PESO , PARA VER O NAÇA PASSAR PARA PRÓXIMA FASE............. EQUIPE ZEBUNAREDE VAI ESTAR LÁ

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - MENINO MESTIÇO

Por: André Montandon e Verônica Furtado Natural de Uberaba, Guilherme de Oliveira Junior, mais conhecido como Menino Mestiço é tido como uma dos grandes letristas da região. Escrevendo desde 2007, suas letras fomentam reflexão, constroem diálogos e empodera aqueles que são invisibilizados pela sociedade. Atuante na cultura Hip-Hop desde 2011 através das batalhas de MCs, em 2015 conseguiu de forma independente distribuir sua primeira mixtape "Abençoado Seja o Que Acredita em Si Mesmo" , contendo as canções "Cantiga de Roda", "Queijo Minas" e "Negro Não Nego" música que ficou em terceiro lugar no Festival de Música autoral de Uberaba. No ano seguinte, se consolida como promessa na região com sua segunda mixtape "Abençoado Seja o Que Acredita e Vai à Luta" , com destaques para os sons "Sem Sinal de Vida", "Anos 2000" e "Gatilho da Revolução. O artista também é responsável por inúmeras atividades como apres

BATE-PAPO COM JOÃO CARLOS NOGUEIRA

Por: André Montandon João Carlos Paranhos Nogueira  é um dos grandes nomes do esporte uberabense. Seu currículo é inspirador, abrange prêmios de destaque do ano, participações e títulos em importantes competições do país. Fera na natação, no triatlo e na maratona aquática, João começou a praticar esporte bem cedo, aos seis anos de idade.  Nas piscinas, são vários pódios, destaque para os títulos no Circuito Brasil e Circuito Paraolímpico. Em 2011, iniciou no Paratriathlon, também conseguindo bons resultados, como a Copa Brasil de 2018. Em 2014, começou na maratona aquática, com diversos títulos na categoria PCD  e sempre estando entre os melhores também contra nadadores sem deficiência, na categoria master. Medalhas em eventos importantes como no Desafio Aquaman, no Circuito de Maratona Aquática do Estado de São Paulo, na Travessia dos Fortes e o Circuito Rei e Rainha do Mar. No ano passado, mais um feito marcante em sua carreira, foi campeão na 52ª edição da Maratona Aquátic