Pular para o conteúdo principal

Naça empata no fim em 1 x 1

Fechando a segunda rodada da segunda fase da Terceirona do Mineiro, o Nacional empatou com o Minas, 1 x 1, na noite desta segunda-feira, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. A equipe anfitriã saiu na frente, e o clube uberabense arrancou o empate aos 41 minutos do 2º tempo.

Com o resultado, o Naça fica em segundo lugar no Grupo E, com dois pontos, igual ao Valeriodoce em todos os critérios de desempate. O Guaxupé é o líder, com quatro pontos, e o Minas é o quarto colocado, com um ponto.

O Alvinegro da Rodovia volta a campo no próximo domingo, de novo fora de casa, enfrentando o Guaxupé.

O jogo – O Nacional entrou com o mesmo time da partida anterior, exceto na meta. Tiago deu lugar ao recém-chegado Rafael, por opção do técnico Érick Moura. O novo titular apareceu bem nas vezes em que foi exigido.

No primeiro tempo, o Elefante teve um pênalti a seu favor, porém, a arbitragem não marcou. Pelezinho fez jogada individual e foi calçado na área. Falta clara.

Na etapa complementar, jogo aberto, com boas chances para os dois lados. Aos 20 minutos, o João-de-barro abriu o placar. Alex recebeu de Gedeon na direita e cruzou para Marinho, que chegou antecipando e guardou.

Em desvantagem, o treinador alvinegro mudou. Colocou Pitbul, Guma e Chitão. O time de JK pressionou e conseguiu o empate no fim. Guma aproveitou bola da esquerda e mandou pra dentro.

Análise – Depois da partida, o técnico Érick Moura, em entrevista por telefone ao REPLAY, mostrou-se satisfeito com o resultado.

“É importante pontuar fora de casa. Saímos atrás enfrentando uma equipe muito boa, com jogadores experientes, de primeira divisão, e conseguimos o empate. No primeiro tempo, fomos taticamente muito bem. No segundo tempo, tivemos chances antes do gol deles, mas pecamos nas finalizações. Depois do gol, mexemos no time e fomos para cima. Fiquei feliz com a atuação”.

O comandante só não gostou da arbitragem. “O pênalti foi claro. Um erro desses pode comprometer o trabalho de um ano todo”, bronqueou.

Com a tabela embolada, Érick confia numa boa sequência para garantir vaga nas semifinais. “Vamos buscar a vitória ou pelo menos um ponto contra o Guaxupé, para depois, nos dois jogos seguidos que faremos em casa, conseguir a classificação”.
 
 Veja a Tabela de Classificação:


Fonte: http://www.jornalreplay.net/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - YSAAC & K.OLIVER

  Por: André Montandon Parceiros de longa data, Ysaac e K.Oliver seguem como eles mesmos dizem: "contrariando as estatísticas". Com muita luta, força, foco e fé, a dupla desenvolve o seu trabalho. E podemos dizer que já são referências em Uberaba e região. Além da carreira solo, eles participam de outros projetos ao lado de feras da cena local, com a Família BMX. Sempre em constante movimento, eles lançaram no mês de maio, o álbum que carrega em seu título o lema da dupla  "Contrariando as Estatísticas", produzido e gravado em São Paulo, conta com vídeo clipe em todas as faixas. Aproveitando o lançamento, batemos um papo com eles. Confira a seguir: - Para começar a nossa entrevista, gostaríamos de saber um pouco mais sobre o processo de produção/gravação do novo álbum? Ysaac/K.Oliver -  Salve família. Máximo Respeito. O processo de produção e gravação do nosso álbum ele veio com muita luta e muita história porque algumas músicas deste álbum duas ou três músicas eu

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - MENINO MESTIÇO

Por: André Montandon e Verônica Furtado Natural de Uberaba, Guilherme de Oliveira Junior, mais conhecido como Menino Mestiço é tido como uma dos grandes letristas da região. Escrevendo desde 2007, suas letras fomentam reflexão, constroem diálogos e empodera aqueles que são invisibilizados pela sociedade. Atuante na cultura Hip-Hop desde 2011 através das batalhas de MCs, em 2015 conseguiu de forma independente distribuir sua primeira mixtape "Abençoado Seja o Que Acredita em Si Mesmo" , contendo as canções "Cantiga de Roda", "Queijo Minas" e "Negro Não Nego" música que ficou em terceiro lugar no Festival de Música autoral de Uberaba. No ano seguinte, se consolida como promessa na região com sua segunda mixtape "Abençoado Seja o Que Acredita e Vai à Luta" , com destaques para os sons "Sem Sinal de Vida", "Anos 2000" e "Gatilho da Revolução. O artista também é responsável por inúmeras atividades como apres