Pular para o conteúdo principal

HIGIENIZADOR DE MÃOS CRIADO POR ALUNOS DA UFU PREVINE AUTOCONTAMINAÇÃO POR COVID-19


Estudantes da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) projetaram um higienizador coletivo para que até seis pessoas possam lavar as mãos simultaneamente, sem tocar em torneiras, sem ligação à rede de água e sem energia elétrica.

A ideia surgiu em março, no contexto da pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus cuja prevenção é feita, principalmente, por meio de isolamento social, uso de máscaras e higienização frequente das mãos. O objetivo do projeto é evitar que as pessoas se autocontaminem ao encostar as mãos no rosto. É o que afirmam os autores do projeto, Laís Abdala Moura, Letícia Franco e Marcel Arantes Lima, alunos do quinto período do curso de graduação em Design.

A estrutura do higienizador é hexagonal e comporta seis pias, duas delas adaptadas para pessoas com deficiência. Essas pias estão conectadas a uma caixa d’água de 500 litros, que fica a uma altura de 1,2 metro do chão, para que a água possa fluir com a força da gravidade. Quando o usuário se aproxima da pia, basta acioná-la com o auxílio do pedal.

Perspectivas simulando a utilização do higienizador (Imagens: arquivo dos pesquisadores)

As pias também têm saboneteira (que funciona com uma alavanca, de modo que, após obter a porção de sabonete líquido, a pessoa não precise encostar na saboneteira novamente para fechá-la) e dispenser de papel-toalha.

Ao terminar de lavar as mãos, basta retirar o pé do pedal para interromper o funcionamento da pia. As pias adaptadas para pessoas com deficiência têm um tipo diferente de pedal, que libera a água a partir da pressão feita pelo apoio de pé da cadeira de rodas. 

De acordo com o projeto, a estrutura é adequada para locais públicos e pode ser deslocada com facilidade, porque é feita com materiais leves, tem rodinhas e travas de segurança. O material que eles indicam para a construção das cabines de higienização é o polietileno de alta densidade, "resistente à tração, compressão e tensão", e para pias, torneiras, pedal de ativação e saboneteiras, "o melhor material seria o metal inox, que é de fácil limpeza e longa durabilidade".

O projeto concorreu a dois prêmios: o Concurso de Ideias promovido pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo e Design (Faued/UFU) e o Desafio UFU Covid-19.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - MENINO MESTIÇO

Por: André Montandon e Verônica Furtado Natural de Uberaba, Guilherme de Oliveira Junior, mais conhecido como Menino Mestiço é tido como uma dos grandes letristas da região. Escrevendo desde 2007, suas letras fomentam reflexão, constroem diálogos e empodera aqueles que são invisibilizados pela sociedade. Atuante na cultura Hip-Hop desde 2011 através das batalhas de MCs, em 2015 conseguiu de forma independente distribuir sua primeira mixtape "Abençoado Seja o Que Acredita em Si Mesmo" , contendo as canções "Cantiga de Roda", "Queijo Minas" e "Negro Não Nego" música que ficou em terceiro lugar no Festival de Música autoral de Uberaba. No ano seguinte, se consolida como promessa na região com sua segunda mixtape "Abençoado Seja o Que Acredita e Vai à Luta" , com destaques para os sons "Sem Sinal de Vida", "Anos 2000" e "Gatilho da Revolução. O artista também é responsável por inúmeras atividades como apres

BATE-PAPO COM JOÃO CARLOS NOGUEIRA

Por: André Montandon João Carlos Paranhos Nogueira  é um dos grandes nomes do esporte uberabense. Seu currículo é inspirador, abrange prêmios de destaque do ano, participações e títulos em importantes competições do país. Fera na natação, no triatlo e na maratona aquática, João começou a praticar esporte bem cedo, aos seis anos de idade.  Nas piscinas, são vários pódios, destaque para os títulos no Circuito Brasil e Circuito Paraolímpico. Em 2011, iniciou no Paratriathlon, também conseguindo bons resultados, como a Copa Brasil de 2018. Em 2014, começou na maratona aquática, com diversos títulos na categoria PCD  e sempre estando entre os melhores também contra nadadores sem deficiência, na categoria master. Medalhas em eventos importantes como no Desafio Aquaman, no Circuito de Maratona Aquática do Estado de São Paulo, na Travessia dos Fortes e o Circuito Rei e Rainha do Mar. No ano passado, mais um feito marcante em sua carreira, foi campeão na 52ª edição da Maratona Aquátic