Pular para o conteúdo principal

DOMINANDO A AMERICA! RIO VENCE PRAIA E CONQUISTA O TETRACAMPEONATO


Pela terceira vez seguida, em pouco mais de um ano, o Rexona/Sesc/Rio de Janeiro e o Dentil/Praia Clube se encontram em uma decisão de título. No ano passado, as equipes decidiram a Copa Brasil e a Superliga Feminina de Vôlei. As duas finais vencidas pela equipe carioca. Além disso, pesa contra as mineiras o tabu de nunca ter vencido o Rio de Janeiro.

E o tabu permaneceu. O  primeiro set foi muito equilibrado com era esperado, com ótimos lances e também varias falhas de ambas os lados. Mas, na reta final do set, a equipe de Bernardino tomou a frente e no saque de Juciely, Ramirez do Praia recepciona mal e Anne aprovetou para fechar o set em 25 a 19. No 2ª set,  o equilíbrio se manteve, e o técnico do Praia, Ricardo Picinini, foi decisivo para a vitória da sua equipe. Após pedir dois tempos técnicos, as meninas do Praia encaixaram o jogo, para empatar a partida em 1 set a 1 com Claudinha explorado bloqueio (parcial 25 a 20).  

Praia Clube, Rio de Janeiro, Sul-Americano (Foto: Lucas Papel)
Foto: Lucas Pape
No quarto set, o Rio até abriu uma pequena vantagem, mas com três ataques de Alix, o time mineiro empatou em 8 a 8. Fabiana, em bloqueio simples, deixou o Praia à frente pela primeira vez. As equipes seguiram trocando pontos e a liderança do marcador. Em toque na rede de Fabiana, o Rio voltou a ter dois pontos de vantagem: 20 a 18. O time do Praia sentiu a diferença no placar, errou mais e viu as cariocas fecharem a parcial no bloqueio de Michelle: 25 a 19. Faltou agressividade do Praia nesse set.

No quarto set, o Rio voltou disposto a acabam com o jogo. Errando menos e mais consistente no ataque, abriu seis pontos (9 a 3). A defesa e a recepção do Praia pararam de funcionar e o time errou mais; deixando o Rio ditar o ritmo da parcial. Roberta colocou todas as atacantes para jogar e a vantagem aumentou com Juciely e ace de Gabi: 21 a 8. Mesmo buscando outras opções táticas, o Praia continuou apático, totalmente irreconhecível.  E viu o Rio fechar o set com Mayhara, em 25 a 10, e o jogo em 3 sets a 0.

Foto: Reprodução internet
Com a vitória, o time de Bernardinho, conquista o quarto título Sul-Americano, o terceiro consecutivo, e de quebre garantiu uma das vagas no Mundial de Clubes que será realizado no Japão. Essa foi 22ª vitória seguida do Rio de Janeiro sobre o Praia em jogos oficiais.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - SUPLA

Por: André Montandon e Verônica Sousa



EDUARDO? SUPLA? PAPITO? CHAMPS!

Com mais de 1.800 shows, 190 músicas, 48 clipes, 17 discos em seus 30 anos de carreira. Eduardo Smith de Vasconcelos Suplicy, iniciou aos 14 anos de idade tocando bateria na banda Os Impossíveis. Mais tarde, entrou para a banda Metrópolis, mas logo foi convidado para ser o vocalista da banda Tokyo - onde teve grande destaque no cenário nacional. 
Em 2009 Supla e seu irmão João, decidiram formar o Brothers Of Brazil, com o qual ganharam destaque internacional e realizaram só entre o Reino Unido e os EUA mais de 250 shows. De volta a carreira solo em 2016, o artista lançou esse ano o álbum bilíngue, "Illegal". E Uberaba, teve a oportunidade de conferir um pouco desse novo trabalho, no show realizado no dia 18 de maio na Casa de Giulietta, onde Supla foi acompanhado pela banda Dillinger. Aproveitamos essa visita para bater um papo com esse ícone do rock nacional. Confira:
- Como foi o processo de criação do seu …

ZEBUNAREDE ENTREVISTA - MENINO MESTIÇO

Por: André Montandon e Verônica Sousa

Natural de Uberaba, Guilherme de Oliveira Junior, mais conhecido como Menino Mestiço é tido como uma dos grandes letristas da região. Escrevendo desde 2007, suas letras fomentam reflexão, constroem diálogos e empodera aqueles que são invisibilizados pela sociedade. Atuante na cultura Hip-Hop desde 2011 através das batalhas de MCs, em 2015 conseguiu de forma independente distribuir sua primeira mixtape "Abençoado Seja o Que Acredita em Si Mesmo", contendo as canções "Cantiga de Roda", "Queijo Minas" e "Negro Não Nego" música que ficou em terceiro lugar no Festival de Música autoral de Uberaba. No ano seguinte, se consolida como promessa na região com sua segunda mixtape "Abençoado Seja o Que Acredita e Vai à Luta", com destaques para os sons "Sem Sinal de Vida", "Anos 2000" e "Gatilho da Revolução. O artista também é responsável por inúmeras atividades como apresentações par…