Pular para o conteúdo principal

Sujeira em terrenos e avenidas do Morumbi gera reclamações

Moradores do bairro Morumbi reclamam de sujeira, mato alto e mau cheiro em terrenos abandonados. De acordo com o estudante Fernando Silva Viegas, a Prefeitura se esqueceu do bairro, além de muita sujeira em terrenos, os canteiros centrais, ilhas e praças também estão em péssimas condições. O mato alto tomou conta destes locais.

“O Morumbi não está em boas condições, é possível perceber em vários cantos que a PMU abandonou o bairro, que está completamente sujo e cheio de mato alto. Além dos terrenos, nas avenidas a situação é a mesma. A capina não é feita há muito tempo e, por conta do mato, está difícil a circulação de pedestres. Sempre paguei meus impostos em dia, mas os moradores não recebem em troca. Pelo menos no meu bairro, o dinheiro que repassamos à Prefeitura não está sendo bem aplicado”, explica Fernando, ressaltando que são serviços simples, apenas uma limpeza.

A dona de casa Valesca Fernanda de Oliveira, que mora próximo a um terreno abandonado, conta que os próprios moradores têm de fazer a limpeza, pois já faz meses que a Prefeitura não está fazendo o dever de casa. “Há alguns meses meu marido pagou a quantia de R$50 para que fosse feita a limpeza em alguns locais, mas entendo que este é um serviço da PMU que não está sendo feito. Na verdade. o trabalho somente é realizado quando o prefeito vem ao bairro para algum evento. Quando, por exemplo, foi inaugurada a Unidade Básica de Saúde, quando as ruas estavam todas limpas, nos canteiros centrais e praças não havia mato”, revela Valesca.

Além disso, a dona de casa ressalta ainda que a sujeira do terreno que fica perto da casa dela na maioria das vezes é jogada por moradores de outros bairros. “Se fossem moradores do Morumbi, com certeza o local já não estava mais sujo, pois com certeza iríamos reclamar e exigir que não jogassem lixo em local inadequado. E vale lembrar também do mau cheiro, porque é comum encontrar animais mortos nesse terreno. O cheiro é terrível”, explica.

Já outro morador, o aposentando Osvaldo Orias, conta que já sugeriu que a Prefeitura colocasse placas indicando que é proibido jogar lixo no local, entretanto, este é um trabalho que não basta ser feito somente pelo Executivo, a comunidade também deve ajudar.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

UMA BREVE HISTÓRIA DE UBERABA

O povoamento da região de Uberaba teve início, no final do século XVIII, com sesmarias concedidas pela Capitania de Goiás, entre elas, a Fazenda das Toldas, ainda existente, concedida a Tristão de Castro Guimarães, e as Fazendas Santo Inácio, Ponte Alta e Bebedouro, concedidas, em 1799, ao Tenente Joaquim da Silva e Oliveira, irmão do Sargento-Mor Antônio Eustáquio da Silva e Oliveira, todas estas fazendas situadas ao sul da atual Uberaba.

O povoado de Uberaba, foi fundada, em 1809, pelo sargento-mor comandante da Companhia de Ordenanças do Distrito do Julgado do Desemboque da Capitania de Goiás, Antônio Eustáquio da Silva e Oliveira.
A primeira casa de Uberaba, construída pelo Sargento-Mor Antônio Eustáquio, localizava-se na atual esquina da Praça Rui Barbosa com a Rua Artur Machado, do lado esquerdo de quem desce a rua Artur Machado.

Uberaba surgiu pela migração de familias que deixaram as já esgotadas regiões produtoras de ouro, porém fracas para agricultura, da Capitania d…

70 ANOS DA ESCOLA ESTADUAL MINAS GERAIS

Fundada em 1944, a Escola Estadual Minas Gerais é uma das instituições de ensino mais tradicionais de Uberaba e completa esse mês 70 anos. Uma série de ações serão desenvolvidas dentro e fora da instituição no intuito de apresentar para a comunidade uberabense toda a sua história.
Estão sendo realizadas diversas ações como, postagem de fotos antigas de alunos e funcionários na tentativa de descobrir que são os personagens de grande história. Entrevistas com ex-alunos, elaboração de um jornal contato a trajetória do minas, a construção de uma capsula do tempo que será aberta daqui à 10 anos, entre outras.
Um destaque especial para criatividade dos grafiteiros que deram vida aos muros externo do colégio. Demonstrando a importante da intervenção artística de grafiteiros na vida urbana. 


O prédio foi construído em 1929 e até hoje mantém as mesmas características. Foi nele que funcionou o primeiro quartel militar da cidade. E desde de 2013, o Conselho de Patrimônio Histórico e Artístico d…